Oscar, Ramires e Willian jogam, mas Júlio Cesar é quem salva o Brasil contra o Chile

Abrindo os trabalhos nas oitavas de final da Copa do Mundo, o Brasil recebeu o Chile no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, e em um jogo tenso se classificou para a próxima fase na disputa por pênaltis. No tempo normal, David Luiz marcou para a seleção canarinho e Alexis Sanchéz empatou a partida. O time comandado por Felipão contou com a participação dos blues Oscar, Ramires e Willian.

Com a vitória, o Brasil enfrenta a Colômbia, na próxima sexta-feira, às 17h, no Estádio Castelão, em Fortaleza. A seleção do Brasil não vai contar com o volante Luiz Gustavo. A ausência deve abrir vaga para Ramires no meio de campo da seleção.

Oscar não atuou bem contra o Chile (Foto: Reprodução/FIFA)

Oscar não atuou bem contra o Chile (Foto: Reprodução/FIFA)

David Luiz marca e Sánchez empata

A partida começou pegada, com um número grande de faltas. Fernandinho, que substituiu Paulinho, fez falta dura em Aranguíz, mas o árbitro levou na conversa. Pouco tempo depois, o mesmo Aranguíz fez falta por trás em Neymar, lance que parece ter afetado o 10 do Brasil durante todo o jogo. Neymar sentiu e acabou ficando alguns instantes fora do gramado.

O começo da seleção brasileira era bom com pressão na saída de bola e desarmes no campo do adversário. Após cobrança de escanteio, Marcelo pegou o rebote e chutou de fora da área, a bola passou no lado direito do gol de Bravo. No lance seguinte, a seleção chilena respondeu com chute de Marcelo Díaz, que também foi pra fora. Com Neymar de volta ao campo, mas ainda sentindo a pancada, o posicionamento do time mudou. Hulk jogava pelo lado esquerdo, Oscar pelo lado direito e Fred recuava deixando, o camisa 10 do Brasil como centroavante. A pressão do time de Felipão continuava. Quando a bola passava das primeiras linhas, a defesa recuperava e iniciava o contragolpe, foi assim em lance que Hulk se jogou e pediu pênalti.

Não demorou muito e saiu o gol do Brasil. A baixa estatura da seleção chilena contribuiu e em jogada de escanteio, Neymar bateu, Thiago Silva desviou e a bola achou David Luiz no segundo pau, que escorou para o fundo das redes aos 18 minutos. O gol dava a tranquilidade que o time canarinho precisava. Além de forçar o Chile a propor o jogo. Funcionou até o minuto 31. Marcelo bateu o lateral, Hulk escorou mal e Vargas encontrou Sanchéz sozinho na área, o atacante bateu no canto e empatou a partida. O Brasil quase desempatou rapidamente em jogada de Oscar e Neymar, aos 34, mas a bola passou perto do gol de Bravo.

Ex-Chelsea, David Luiz fez boa partida (Foto: Reprodução/FIFA)

Ex-Chelsea, David Luiz fez boa partida (Foto: Reprodução/FIFA)

Brasil joga mal, mas Chile não consegue o gol

No segundo tempo, o panorama era semelhante ao do fim da primeira etapa. Os dois times buscando o gol e se pressionando. Aos 3 minutos, Fernandinho arriscou de fora da área com perigo. O Brasil ainda teve outra boa chance com Hulk, que dominou de mão e acabou fazendo o gol, anulado pela arbitragem. Após isso, não demorou muito para a seleção chilena tomar o controle da partida. Sampaoli colocou Gutiérrez no lugar de Vargas. A mudança liberou Vidal para jogar ao lado de Sánchez e o meia da Juventus foi um dos principais responsáveis pelo domínio chileno na partida.

O Chile controlava as ações no meio de campo e anulava Neymar e Oscar. Em jogada rápida pela direita, Aranguíz recebeu na entrada da área e chutou obrigando Júlio César fazer ótima defesa. O Brasil não conseguia trocar três passes, Felipão colocou Ramires no lugar de Fernandinho para recuperar o meio de campo, sem sucesso. No fim do segundo tempo, as duas equipes pareciam querer levar o jogo para a prorrogação.

O calor de Belo Horizonte acabou deixando os dois times extenuados e os quinze primeiros minutos do tempo extra não teve emoções. No segundo tempo, Felipão promoveu mais uma substituição, sacou Oscar e colocou outro jogador do Chelsea, Willian. O dono da camisa 19 da seleção entrou bem, mas teve pouco tempo para trabalhar. No fim da etapa final da prorrogação, Pinilla chutou de fora da área e acertou o travessão, silenciando o Mineirão na ida para a decisão por pênaltis.

Na cobrança das penalidades, David Luiz, Marcelo e Neymar marcaram para o Brasil, Willian e Hulk desperdiçaram. Pelo lado chileno Pinilla e Sánchez bateram e Júlio Cesar defendeu, já o zagueiro Jara chutou a última bola na trave levando o time de Ramires, Oscar e Willian para as quartas de final.

Júlio Cesar foi o nome do jogo contra o Chile (Foto: Reprodução/FIFA)

Júlio Cesar foi o nome do jogo contra o Chile (Foto: Reprodução/FIFA)

BRASIL 1 (3) X 1 (2) CHILE

BRASIL
Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho (Ramires), Oscar (Willian) e Hulk; Neymar e Fred (Jô)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

CHILE
Bravo; Francisco Silva, Gary Medel (Jose Rojas) e Gonzalo Jara; Mauricio Isla, Charles Aránguiz, Marcelo Diaz, Arturo Vidal (Pinilla) e Eugenio Mena; Eduardo Vargas (Felipe Gutierrez) e Alexis Sanchez
Técnico: Jorge Sampaoli

FICHA TÉCNICA

BRASIL 1 (3) X (2) 1 CHILE

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 28 de junho de 2014, sábado

Horário: 13 horas (de Brasília)

Árbitro: Howard Webb (Inglaterra)

Assistentes: Michael Mullarkey e Darren Cann (ambos da Inglaterra)

Público: 57.714 torcedores

Cartões amarelos: Hulk, Luiz Gustavo, Jô, Daniel Alves (BRA); Eugenio Mena, Francisco Silva (CHI)

Gols: David Luiz, 18, Alexis Sanchez, 32min do primeiro tempo

Durante toda a Copa do Mundo, o Chelsea Brasil fará a cobertura do torneio, informando, com o já conhecido empenho, o dia-a-dia dos jogadores dos Blues.

Cleisson Lima

Tio do Júlio César, Estagiário de Redação na Rádio Transamérica, e Chefe de Redação no Futebol das Gerais. O caminho é um só...