Chelsea convence e garante vaga na final da FA Cup

Comandados de Lampard garantiram a vitória contra o Manchester United por 3-1 e encaram o Arsenal na decisão

O Chelsea venceu o Manchester United por 3-1 em partida válida por uma das semifinais da FA Cup. Com gols de Olivier Giroud, Mason Mount e Harry Maguire (contra), os Blues avançam em busca do primeiro título de Frank Lampard como técnico. O gol dos Red Devils foi assinalado por Bruno Fernandes, de pênalt. Assim, os azuis encaram um duelo londrino contra o Arsenal na decisão, que acontecerá dia 1º de agosto.

Primeiro tempo sem espaços

O começo de jogo disputado no meio-campo demonstrou claramente as duas propostas: O Chelsea tentaria ficar com a posse de bola e o United preparado para o contra-ataque. Os dois adiantavam a marcação, mas foram os Blues que provocaram o primeiro erro dos zagueiros em bola roubada por Willian. Aos 14 minutos, após pressão, Azpilicueta cruza da intermediária e Alonso cabeceia para fora na segunda trave.

O jogo manteve a dinâmica ao longo do primeiro tempo. O domínio dos Blues, entretanto, não se traduzia em gol. Assim, aos 30, o United chegou em falta bem cobrada por Bruno Fernandes. O Chelsea respondeu rapidamente com um chute de fora da área de Mount.

giroud mais um gol

Giroud marca mais uma vez pelo Chelsea (Foto: Goal)

Quando o jogo rumava para para o intervalo, Maguire e Bailly acabaram batendo cabeças e a partida ficou parada por diversos minutos. O marfinense teve que sair imobilizado do gramado. Assim, Solksjaer o substituiu por Martial.

Todavia, quem chegou ao gol foi o Chelsea. Nos acréscimos da primeira etapa Olivier Giroud se antecipou bem à zaga para completar cruzamento rasteiro de Azpilicueta. A jogada começou com Willian, que lançou o espanhol nas costas da zaga pela direita. Portanto, com o gol, o centroavante mantém a boa fase e coloca os Blues à frente.

Giroud capitaliza no jogo aéreo

Os dois times adotaram uma formação com três zagueiros, quatro meio-campistas em linha e três atacantes. Assim, pelo lado azul, Azpilicueta se torna um elemento surpresa importante na construção de jogadas, além de cobrir a ala de James. Foi assim no lance do gol, com mais uma assistência – sete até agora – para Giroud completar. Assim, o francês já contabiliza seis tentos desde o retorno.

A atitude dos dois rivais também mantinha os times marcando a saída de bola. Todavia, o Chelsea dominou a maior parte do jogo e, além de chegar em algumas oportunidades, não foi ameaçado. A participação do meio campo azul garantiu solidez contra um apático Manchester United.

Segundo tempo dominante

O Chelsea começou em cima e, no primeiro ataque do segundo tempo, Mount amplia o marcador em chute de fora da área. Após roubada de bola na intermediária, o jovem contou com falha de passe da defesa e com a ajuda de De Gea, que aceitou o chute. A resposta veio pouco depois com a entrada de Pogba e Greenwood.

Com o gol, o United avançou mais, mas quem chegou mais duas vezes em poucos minutos logo depois da mudança foi o Chelsea. Mount tentou, mas foi Giroud quem quase fez o segundo em cruzamento de Alonso. Aos 70’, os Blues conseguem mais uma escapada. James cabeceou e De Gea fez grande defesa. Na sequência, Mount achou Alonso pela esquerda. Assim, o lateral cruzou e Maguire fez contra em dividida com Rudiger.

Rudiger esteve bem

Rudiger esteve envolvido na jogada do gol contra de Maguire (Foto: Goal)

Assim, com o jogo no fim, Lampard colocou Abraham e Odoi no lugar de Giroud e Willian. Nos últimos dez minutos da partida os londrinos administraram bem o resultado. Entretanto, Odoi deu bote ansioso dentro da área e cometeu pênalti. Bruno Fernandes cobrou e diminuiu para os Red Devils.

Três zagueiros para resolver o problema

Lampard retornou ao esquema com três zagueiros e conseguiu segurar a velocidade do adversário. Assim, com boa atuação dos alas e Mason Mount, o Chelsea carimbou com autoridade a vaga para a final da competição. Giroud  mostrou-se útil mais uma vez marcando o primeiro gol. Além disso, Kovacic e Jorginho dominaram as ações no meio-campo, dando tranquilidade para a equipe.

Ficha Técnica

Chelsea (3-4-3): Caballero; Azpilicueta, Rudiger, Zouma; James, Jorginho, Kovacic (Loftus-Cheek 86’), Alonso; Willian (Odoi 80’), Giroud (Abraham 80’) e Mount (Pedro 91’).

Reservas não utilizados: Kepa, Tomori, Christensen, Emerson, Barkley e Pulisic.

Manchester United (3-4-3): De Gea; Bailly (Martial 47’), Maguire, Lindelof; Wan-Bissaka (Fosu-Mensah 79’), Matic, Fred (Pogba 56’), Williams; James (Greenwood 56’), Rashford (Ighalo 79’) e Fernandes.

Reservas não utilizados: Romero, Andreas Pereira, Mata e McTominay.

Gols: Giroud 45’+11’, Mount 46’, Maguire 74’ (GC) e Fernandes 85’ (pen.)

Cartões amarelos: Pogba 71’

Árbitro: Mike Dean

Lucas Jensen

Jornalista que ainda acredita que o futebol pode ser apreciado sem torcer (mas não se segura e torce mesmo assim). Fã de tática e do jogo reativo, se deleita nos contra-ataques e toques 'de primeira'. Amante racional da Premier League e nostálgico do Calcio, seus hobbies incluem teorias mirabolantes e soluções inusitadas.