Solanke e Bamford terão chances no time principal? (Foto: Arte/Getty Images)

Qual a melhor solução para o ataque: o mercado ou a base?

Solanke e Bamford terão chances no time principal? (Foto: Arte/Getty Images)
Solanke e Bamford terão chances no time principal? (Foto: Arte/Getty Images)

O domingo, 24 de maio, foi um dia histórico para o Chelsea. Naquela partida contra o Sunderland, a equipe recebeu o troféu do merecido título da Barclays Premier League, mas algo que aconteceu antes da bola rolar comoveu os torcedores. A lenda viva do clube, Didier Drogba, anunciou sua saída do Chelsea ao final da temporada.

Herói da conquista da UEFA Champions League em 2012, Drogba teve uma saída polêmica e dois anos no futebol chinês e turco antes de retornar a Londres, em julho de 2014. Sua volta foi como um pedido de desculpas pelo que havia sido feito dias após a façanha em Munique.

Com o novo fim da trajetória de Drogba no clube, sobra uma vaga no elenco para o ataque. Com o mercado de transferências perto de se abrir, surgiram inúmeros rumores sobre jogadores a caminho do Chelsea. Mas seria essa a melhor opção? Não seria uma ótima solução dar oportunidade aos jovens?

O Chelsea vinha sofrendo com a posição de frente desde a saída de Drogba. Na temporada 2012/13, contou com Fernando Torres e Daniel Sturridge como jogadores da posição. Sturridge foi vendido em janeiro e, há época, estava muito longe de ser o jogador que se tornou no Liverpool. Com Torres rendendo muito abaixo do esperado, o Chelsea foi atrás de Demba Ba para concorrer com o espanhol.

Torres terminou a temporada como artilheiro do clube, com 22 gols em 66 partidas. Ba anotou seis gols em 22 jogos. Contudo, os dois não pareciam contar com a confiança de José Mourinho, o novo treinador do Chelsea para a temporada 2013/14. Assim, o o português chamou o experiente Samuel Eto’o para reforçar o elenco. Porém, a nova trinca de atacantes não vingou, combinando 31 gols em toda a temporada.

Durante aquela campanha, o Chelsea foi eliminado da UEFA Champions League pelo Atlético de Madrid e viu do outro lado um atacante que chamava atenção pela veia goleadora: Diego Costa. Seu nome já era diretamente ligado ao Chelsea, porém, muitos torcedores não enxergavam com bons olhos a chegada do hispano-brasileiro. Provocador, Diego Costa não deixou uma boa imagem após o duelo no Stamford Bridge.

Enquanto o Chelsea sofria com seus atacantes no elenco, um jogador do Blues se destacava na Premier League: Romelu Lukaku. Contratado junto ao Anderlecht em 2011, Lukaku passou mais tempo emprestado do que no próprio Chelsea. Na temporada 2012/13, marcou 17 gols na Premier League pelo West Brom. No ano seguinte, já pelo Everton, marcou 15 gols – número maior que qualquer atacante do Chelsea no mesmo ano.

Muitos defendiam Lukaku ao invés de Diego Costa. Um jogador que já era do Chelsea, que não demandaria custos e que já impressionava no Campeonato Nacional. Porém, a diretoria não pensou assim e contratou Diego Costa, que anotou 20 gols, caiu no gosto da torcida e foi um dos destaques do Blues em sua primeira temporada. Enquanto Lukaku foi vendido por £28 milhões.

Com a saída de Drogba para a próxima temporada, abriu-se, novamente, um espaço no elenco para o ataque. Nomes como Mauro Icardi, Christian Benteke, Falcao García e Pedro Rodríguez surgem no mercado de transferências. Mas o que fazer com Dominic Solanke e Patrick Bamford, jogadores jovens, revelados pelo Chelsea e que fizeram uma temporada de destaque com o sub-18 do clube e no Middlesbrough, respectivamente?

Solanke tem apenas 17 anos e já é apontado como uma das futuras promessas do futebol inglês. Nessa temporada, participou das conquistas da FA Youth Cup e da UEFA Youth League com a equipe sub-18 do Chelsea. Solanke, que foi artilheiro da conquista europeia com 12 gols, estreou nessa temporada com o time adulto e se tornou o jogar mais jovem a atuar com a camisa do Chelsea pela UEFA Champions League. Jovem atacante, marcou 41 gols em toda temporada e em janeiro recebeu o prêmio de Melhor Jogador Jovem Inglês de 2014.

Bamford atuou emprestado junto ao Middlesbrough na disputa da Championship, a Segunda Divisão da Inglaterra. Com 17 gols em 37 partidas, foi um dos destaques do Boro que terminou na quarta posição, mas não conseguiu o acesso para a Premier League nos playoffs, perdendo a final por 2×0 contra o Norwich City.

Aos 21 anos, Bamford se encontra no seu terceiro empréstimo após ser adquirido junto ao Nottingham Forrest, em 2012. O garoto passou também com destaque pelo MK Dons onde anotou 18 gols em 37 partidas na Terceira Divisão Inglesa entre 2012 e 2014. Com esse destaque, foi emprestado para o Derby Conty em janeiro de 2014 e em seis meses de clube marcou 8 gols.

Sobre os nomes especulados, Falcao teve uma temporada sofrível no Manchester United, com poucos gols e atuações descentes. Pedro perdeu seu espaço do Barcelona desde a chegada de Neymar e é mais um jogador para os lados do campo do que um matador nato. Icardi vem se destacando pela Inter de Milão nos últimos anos e é um jogador que caiu no gosto de Mourinho. Benteke, após a lesão que o tirou da Copa do Mundo, demorou a se reencontrar com as redes, mas é uma grande ameaça aos zagueiros pelo seu porte físico e tem um estilo de jogo parecido com o de Drogba.

Até mesmo Loic Remy não tem sua permanência no Chelsea assegurada. O atacante entrou e foi decisivo em alguns jogos na reta final, como contra o Stoke City e o Hull City, marcando os gols das vitórias dessas partidas. Atacante francês, foi contratado junto ao QPR após não ter sido aprovado nos exames médicos do Livepool. A princípio terceira escolha do ataque, Remy participou de 24 jogos na temporada e marcou nove gols.

Com a nova política de transferência do Chelsea de gastar menos, seria um momento perfeito para se ocupar a lacuna deixada por Drogba no elenco com um dos jovens jogadores, a custo zero. Bamford está um passo à frente por já ter mais de experiência, mas a habilidade e a ascensão meteórica de Solanke o colocam como um forte candidato a se juntar a Diego Costa e Loic Remy no ataque do Chelsea.

A situação de Lukaku era diferente pelo fato de o clube não continuar com nenhum dos três atacantes da temporada anterior. Para esse ano, há, em teoria, apenas uma vaga. Mas a desconfiança, a mesma que aconteceu com o belga no ano passado, paira sobre Bamford e Solanke, o que pressiona a diretoria, que pode ir atrás de alguém mais maduro no mercado e que possa segurar a pressão de ser atacante do Chelsea Football Club.

Qual será a melhor opção? Assim como ocorreu na temporada recém-finda, apenas o futuro poderá dizer.

Compartilhe

Comments

Category: Blog

Tags: