Um teste ideal para o sistema ofensivo de Maurizio Sarri

A próxima parada do Chelsea será em Goodison Park, casa do Everton. Mais um compromisso válido pelo Campeonato Inglês e mais uma chance do Chelsea apresentar consistência – principalmente, no viés ofensivo. Trazendo da memória e, claro, das estatísticas, a equipe londrina relembra com saudade do ano de 2014. Cinco anos atrás, Everton e Chelsea se enfrentaram em Liverpool e a equipe londrina venceu os Toffees por 6 a 3. Uma das apresentações mais impactantes, positivamente falando, da equipe londrina em termos de criação e aproveitamento nas finalizações. Diego Costa era o centroavante do Chelsea, para muitos torcedores, a melhor referência ofensiva em muitos anos.

Desde Diego Costa, nenhum striker se adaptou bem na posição e, consequentemente, vestindo o fardamento do Chelsea. Morata e Giroud foram nomes destacados que passaram pelo time, mas não conseguiram fazer jus aos valores astronômicos de contrato. No caso de Giroud, integrante do plantel atual, ainda há tempo de comprovar perante a comissão técnica e diretores. Por falar em comprovar, a bola da vez é Gonzalo Higuaín. Outro nome de grande valor no cenário europeu e outro atleta que busca comprovar eficiência.
Higuaín é um nome de confiança de Maurizio Sarri e um futebolista que pleiteia do cargo vago de centroavante – que resolve – no Chelsea Football Club. Até o momento, Higuaín atuou em nove jogos e obteve três gols marcados. O argentino marcou dois gols contra o Huddersfield, um gol contra o Fulham e ainda não proporcionou assistências.

Não só individual, mas coletivamente

Faço menção ao atleta da Seleção Argentina, por causa da contratação ser tratada como mais uma possível solução dos problemas. Entretanto, vamos frisar no sistema ofensivo como um coletivo. Afinal de contas, comparando com o G6 do Campeonato Inglês, o Chelsea apresenta o menor número de gols marcados. A equipe de Maurizio Sarri atuou em 29 jogos e marcou 50 gols marcados. Não é uma média ruim, mas é abaixo dos líderes da competição.

“Algumas vezes nós não conseguimos colocar a bola dentro da área ou atacar muito bem os espaços atrás dos oponentes da linha. Precisamos ter consistência nesses aspectos”, disse o treinador do Chelsea, na entrevista coletiva antes do embate contra o Everton. A pergunta para o jogo contra o Everton é: “Gonzalo ou Giroud?

Lembrando que…

Higuaín perdeu o último confronto, frente ao Dínamo Kiev, por causa de dores no estômago e febre. Por outro lado, Giroud sobre aproveitar muito bem o espaço concedido pelo argentino e marcou um hat-trick perfeito – gols são marcados, em uma mesma partida, um com cada pé e o outro com a cabeça. Na minha opinião, Higuaín deve estar apto para o confronto. O francês vai para o banco de reservas.

Ainda sobre o Everton

O jogo marca o reencontro de Ross Barkley com o Goodison Park. Será a primeira vez que o atleta, formado na base do Everton, retorna ao território Toffee. Ele foi vendido ao Chelsea por 15 milhões de Libras, em janeiro do ano passado, e presta serviços ao técnico Maurizio Sarri. Ou seja, veremos em breve qual será a recepção da torcida para com Ross Barkley. Com carinho ou com desprezo.

O texto da semana passada

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.