Um olhar otimista para o futuro do Chelsea

Não só de erros vive a diretoria do Chelsea. Pelo menos é o que todos os torcedores querem acreditar. E, recentemente, o clube vem tomando algumas decisões certas, não só financeiramente, mas pensando no futebol do time também.

O primeiro acerto foi a escolha do treinador Maurizio Sarri junto com Zola, como seu assistente, e, talvez mais do que isso, seu guarda costas. Colocar um ídolo da torcida como suporte para o técnico, faz com que essa figura ganhe mais força perante ao elenco e à mídia, uma vez que, os fãs confiam bastante em um homem que marcou seu nome de maneira tão positiva na história do clube.

Os italianos Maurizio Sarri e Gianfranco Zola foram as novidades para o comando técnico do time [Foto: Reprodução Twitter Chelsea FC]


Outra boa notícia foi a janela de transferências, que finalmente surpreendeu positivamente o torcedor Blue. Nada de investimentos estranhos e desesperados, como foram os £35 milhões pagos por Danny Drinkwater na temporada passada. O time investiu alto em Kepa Arrizabalaga, um goleiro jovem e muito promissor, que assinou um contrato de 7 temporadas (!) e contratou dois meias que se encaixam perfeitamente no estilo de jogo que o treinador quer implementar na equipe: Jorginho e Kovacic. E não é coincidência, que esses atletas sejam tão úteis para Sarri, ele certamente teve total influência na escolha desses nomes, o que fica ainda mais explícito com a chegada de Higuaín, atacante que entendeu o “Sarribol” ainda nos tempos de Napoli, e naquela oportunidade fez 36 gols na liga.

Isso é muito importante, pois Marina Granovskaia é uma excelente gestora das finanças do clube, porém, parece não ser muito boa para enxergar bons jogadores dentro do mercado de transferências. Então, é melhor que o treinador peça jogadores que de fato serão aproveitados. Simples, mas que não acontecia no Chelsea até muitíssimo pouco tempo. Difícil esquecer da sincera entrevista de Antonio Conte para o repórter da ESPN Brasil, João Castelo Branco, dizendo que não conhecia o futebol de Emerson Palmieri, lateral recém contratado pelos Blues na época.

Agora, entrando em um assunto que talvez seja um sonho antigo do torcedor Blue: o aproveitamento e a valorização dos jovens jogadores formados pelo Chelsea.

Incomoda muito ver que alguns dos principais atletas que atuam no futebol inglês tiveram passagem pelos Blues quando eram mais novos. Esse é um assunto antigo, inclusive já escrevi a respeito da saída de Lukaku, Salah e De Bruyne. Os três são os principais exemplos, mas existem muitos outros jogadores com potencial, que acabam sendo deixados de lado pelo Chelsea.

Porém, nessa temporada, é possível ver que Sarri tem buscado aproveitar mais os jovens talentos do elenco, principalmente Callum Hudson-Odoi e Ruben Loftus-Cheek. O primeiro inclusive, foi um jogador que recebeu diversas propostas do Bayern, todas elas recusadas pelo Chelsea, que não mediu esforços para segurar o jogador. Usando como arma até mesmo declarações de Zola, Sarri e Willian, “clamando” pela permanência do jogador de 18 anos.

O esforço da diretoria para manter Hudson-Odoi é algo que a torcida deve valorizar [Foto: Reprodução Twitter Chelsea FC]


Outro acontecimento que mostrou uma preocupação do Chelsea com os jovens, foi a “não reposição” pela saída de Cesc Fàbregas. Nesse caso, foi uma atitude da diretoria, que, segundo alguns jornais ingleses – como o Telegraph – noticiam, negou os pedidos de Sarri por um substituto para o meia espanhol. Isso foi feito para evitar a frustração de jovens que lutam por uma vaga no meio-campo, como Ampadu, Loftus-Cheek, e até mesmo Mason Mount, que está emprestado ao Derby County e faz boa temporada sob o comando de Frank Lampard.

Na última coletiva de Sarri, que aconteceu no dia 29/01, o treinador garantiu a permanência de Hudson-Odoi e elogiou bastante o jovem goleiro Kepa:

“Está melhorando. Ele será um dos melhores goleiros da Europa com certeza.”

Kepa defendeu um pênalti contra o Tottenham na semifinal da Carabao Cup [Foto: Reprodução Twitter Chelsea FC]


Um elenco que se renova e valoriza os jovens talentos, é algo que traz esperança ao torcedor. Ainda mais quando se espera que o treinador tenha tempo para aplicar um sistema de jogo, algo que fica mais fácil quando se conta com atletas com vontade de melhorar seu jogo e surpreender positivamente o técnico para ser importante no sistema. O plantel possui muitos desses jogadores motivados e que podem ser aproveitados por muitos anos, como Kepa, Rudiger, Christensen, Ampadu, Kovacic, Loftus-Cheek e Hudson-Odoi, além de Mason Mount e Pulisic, que podem fazer parte do time a partir da próxima temporada.

O Chelsea também conta com jogadores mais experientes, como Azpilicueta, David Luiz, Jorginho, Kanté, Hazard e Higuaín, que vão equilibrar a equipe e completar uma fórmula quase que ideal para o funcionamento de um time de futebol.

Como disse no início, a diretoria tem tomado algumas decisões acertadas, e, se continuar assim, é possível acreditar em um Chelsea competitivo por muitas temporadas, e, principalmente, sem tantos problemas internos que levam à demissão em massa de treinadores e tantos recomeços de trabalho.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Victor Rosa

Curso jornalismo e carrego o sonho de trabalhar acompanhando futebol todos os dias da minha vida. #GoBlues #KTBFFH