Um discurso de antagonismo

O Chelsea segue com sua sequência de embates complexos e o adversário da vez será o embalado Manchester City. Observo a situação como óbvia: uma vitória seria uma explosão motivacional para a equipe de Antonio Conte. Os três pontos contra os Citizens seria um alívio após a derrota contra o United e um grito de “temos chances sim” para o futuro embate contra o Barcelona. Se perder, venhamos e convenhamos que será um resultado absolutamente normal. Afinal de contas, o City apresenta o futebol mais vistoso da Inglaterra.

Courtois, Rudiger, Christensen e Azplicueta; Marcos Alonso, Fàbregas, Kanté e Moses; Pedro, Hazard e Willian Esse deve ser a equipe do Chelsea contra o Manchester City. O lado azul da Manchester deve atuar com Ederson, Walker, Otamendi, Kompany e Danilo; Bernardo Silva, De Bruyne, Gundogan, David Silva e Leroy Sané; Kun Aguero.

Segundo o Daily Mail, Guardiola observa o italiano como um mestre da tática e que seu trabalho na Inglaterra só ganhará o devido reconhecimento, quando ele sair dos Blues. “O que ele fez na Premier League, talvez as pessoas não percebam. […] Ele introduziu outro modo de atacar com cinco na retaguarda, outro sistema, e vários times, inclusive o Arsenal, tem muito o que imitar disso”. “Taticamente, ele é um mestre, ele fez de uma forma incrível com a Itália e com a Juventus. Eu acho que Conte vai embora, mas deixando algo para o futebol inglês. Tenho certeza disso”, afirmou o técnico campeão da Copa da Liga Inglesa.

De outro lado, o mesmo jornal relatou que o Conte encontrará muitas dificuldades na partida de domingo. “É muito difícil mas, ao mesmo tempo, nós temos que tentar e encontrar se existir fraquezas no City e trabalhar em cima das fraquezas mencionadas. Claro que não é simples, não é simples neste momento encontrar fraquezas no time deles. Mas temos que tentar e encontrar o melhor modo de atuar neste jogo”, afirmou o italiano.

O ponto positivo, em meio aos problemas, é a possibilidade de Ross Barkley ser uma opção para o jogo contra a equipe de Pep Guardiola. Ele atuou no último treinamento do Chelsea e deve ser listado para o embate. David Luiz, Ethan Ampadu e Tiemoue Bakayoko continuam indisponíveis.

Discursos diferentes, situações adversas e contrastantes. Seria bom ganhar, mas o Chelsea não é (nem de perto) favorito ao embate. Por isso, na hora de mencionar que “Blue is the Colour”, especifique o azul. Boa sorte ao nosso Chelsea. Vamos precisar.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

Category: Opinião

Tags:

Article by: João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.