Três anos após contratação, Pedro ainda é uma incógnita

Na última segunda-feira (20), completaram-se exatos três anos da contratação de Pedro Rodríguez junto ao Barcelona. O atacante oscilou entre bons e maus momentos na Espanha. Mesmo assim, veio ao Chelsea no início da temporada 2015-16, a pedido de José Mourinho.

No entanto, naquele ano, nem Lionel Messi ou Cristiano Ronaldo juntos dariam jeito nos Blues. Os problemas extracampo de Mourinho, que fez uma temporada bem abaixo do esperado. Mesmo em um grupo rachado, Pedro foi um dos destaques do time, marcando sete gols e dando três assistências.

O auge e o fosso

Após a saída de Mourinho e a passagem de Guus Hiddink, o Chelsea contrataria o italiano Antonio Conte. Com ele no comando, Pedro viveu seu melhor e o pior momento com a camisa do clube londrino. Na temporada 16-17, formou, junto com Hazard e Diego Costa, um grande trio de ataque.

Lembrem-se. Foi dele o gol de empate contra o Tottenham na vitória por 2 a 1 em Stamford Bridge. Dos pés do espanhol também saiu o petardo que abriu o caminho para a vitória por 3 a 0 contra o Everton em pleno Goodison Park. Ambos os gols você pode rever nesse vídeo especial que o Chelsea postou nessa semana. Ao fim dessa temporada, se alguns ainda questionavam os 30 milhões de euros gastos em sua contratação, Pedro dava em campo a resposta de que o dinheiro havia sido muito bem investido.

Pedro perdeu espaço na equipe na atual temporada (Foto: Getty Images)

Bastaram alguns meses para que esse entusiasmo se transformasse em dúvidas e críticas. A temporada 17-18 chegou, o Chelsea entrou em uma nova crise e o futebol do espanhol voltou a cair. Com poucos minutos em campo e muitos revezando entre banco de reservas e departamento médico, o atacante foi sendo, aos poucos, deixado de lado pelo então técnico Antonio Conte.

Insatisfeito com o desempenho do time, o 3-4-3 de sucesso foi alterado para um 3-5-2 (com Hazard e Morata na frente). Quando tinha que abrir o time, Willian era a primeira escolha do italiano. Nas Copas, onde Pedro poderia mostrar seu futebol, o espanhol fez apresentações sofríveis, deixando a dúvida na cabeça do técnico se o atacante era mesmo uma boa opção.

Novo técnico e começo promissor

Com a ida de Hazard e Willian para a Copa do Mundo da Rússia e a não convocação de Pedro para o Mundial, o espanhol teve o tempo adequado para as férias. Assim, pôde fazer toda a pré-temporada sob o comando de Maurizio Sarri. Sem os principais concorrentes da posição, o atacante se destacou e marcou gols em amistosos e nos dois primeiros jogos da Premier League.

Com Hazard e Willian fora do auge, Pedro largou na frente para a titularidade no novo esquema dos Blues. A expectativa até então é a melhor possível. A torcida espera que ele não só repita o auge da temporada 16-17, mas que seja o Pedro Rodríguez dos tempos áureos.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

A gente sabe que você também tem o sangue azul. Apoie o Chelsea Brasil e ajude a escrever a nossa história! Link direto para a campanha: https://goo.gl/6AAUzD.

Apoia-se Chelsea Brasil

Willian Guerra