tomas-kalas.img

Opinião: Kalas é emprestado mais uma vez; não vale a pena ver de novo

Depois de uma temporada atípica para os torcedores do Chelsea, que assistiram problemas dentro e fora de campo, há uma expectativa enorme quanto ao trabalho do vitorioso técnico italiano, Antonio Conte. Há muita especulação quanto aos reforços, principalmente para o setor defensivo, que foi visivelmente abaixo da média na temporada passada. Mas, em meio a tantas cifras indo e vindo nesta janela de transferências, a famosa pergunta ronda os corações dos fãs do clube: Por que os jovens não estão sendo utilizados?

A notícia de que o zagueiro Tomas Kalas, de 23 anos, foi emprestado ao Fulham, exalta a importância de uma reflexão. O jogador participou de poucas partidas pelo clube, e mesmo assim, conseguiu se destacar. É muito mais rentável apostar em um jovem promissor, que já pertence ao clube, ao invés de investir milhões em um jogador que pode não demonstrar a vontade de estar no time principal do Maior de Londres. Obviamente, a experiência do treinador (que Conte já demonstrou), em utilizar as promessas no momento certo, faz toda a diferença. O manager foi um dos responsáveis pelo imenso sucesso do francês Paul Pogba, justamente por possuir a visão de futuro em um atleta jovem, mas também muito talentoso.

Leia Mais: Kalas é emprestado ao Fulham

Além da questão financeira, isso se torna algo importante para a visibilidade internacional da nossa base, já muito desejada por diversos clubes. Revelar grandes nomes para o futebol é algo muito maior que apenas contratar estrelas, pois chegarão a Stamford Bridge sem a metade da identificação que um jogador “da casa” teria com a torcida e clube.

Não existe apenas o exemplo de Kalas, pois Nathan Aké, jovem e promissor lateral, também passará mais algum tempo emprestado. No meio de tantas notícias correndo sobre quem chega ou sai, é importante lembrar a importância de ter jovens promissores e talentosos no elenco.

Kalas chegou ao Chelsea em 2010 e participou de apenas quatro partidas, mas, foi emprestado cinco vezes. Vitória dos empréstimos.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Opinião

Tags: