O Qarabag e as curiosidades do campeonato do Azerbaijão

A campanha de apenas dois pontos em quatro jogos é um choque de realidade continental para o Qarabag. Se a vida não está fácil na trajetória de estreia na Champions, o adversário do Chelsea nesta quarta-feira tem reinado em território caseiro. Passadas doze rodadas, o time lidera o campeonato nacional do Azerbaijão com 28 pontos e uma partida a menos que alguns concorrentes. Mas é preciso não dar sopa para o azar, pois Zira FK e FK Qäbälä estão logo atrás, a um e três pontos, respectivamente, de distância.

Só que a concorrência não é muito grande. São apenas oito equipes na disputa, sendo que uma é rebaixada, duas vão à Liga Europa e somente a campeã tenta a vaga na Champions após algumas pelejas nas fases qualificatórias, como fez o Qarabag desta vez. Vale lembrar que eles eliminaram o dinamarquês Copenhague na última etapa pré-grupos.

Hoje, o FK Kapaz seria o condenado à “Segunda Divisão”. Zira FK e FK Qäbälä pegariam a “Série B” continental (Europa League), e o quarteto formado por Sumqayit FK, Neftchi Baku, Sebail PFK e Inter Baku teriam como glória a permanência na elite.

Na história, o Qarabag – que também pode ser escrito como “Karabakh” – soma cinco títulos nacionais, o que o coloca na condição de segundo maior vencedor do país, três canecos abaixo do principal deles, o Neftchi Baku. Este, por sinal, está só um ponto acima da zona da degola e corre sério risco de queda. Shamkir, Kapaz PFK (três conquistas), Inter Baku PIK, FC Baku (duas), Turan İK e Khazar Lankaran FK (uma) completam a lista dos campeões.

Longe do contexto local e assustado com o percurso na estrada europeia, os azeris buscarão manter as remotas chances de classificação para as oitavas da Liga dos Campeões, em casa, nesta quarta. Ao Chelsea cabe o papel de reforçar para os novatos a veracidade do árduo cenário em nível de continente. Caso os Blues tenham êxito, a vaga inglesa estará garantida.

 

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Patrick Monteiro