Nervos à flor da pele

Em mais uma noite londrina recheada de emoção, a vitória magra do Chelsea sobre o Swansea mostrou como cada ponto fará a diferença na Premier League. Um jogo que parecia dos mais fáceis na temporada correu risco de se tornar um pesadelo, e certo sufoco já virou marca registrada de vários jogos dessa equipe.

Os galeses foram a Londres dentro da zona de rebaixamento, com o elenco muito pressionado e uma fase nada agradável. O Chelsea vinha de bons resultados pela Premier League e Champions Legaue, mas ainda não recebe 100% de tranquilidade das arquibancadas.

Os três pontos são capazes de superar qualquer drama (Foto: Getty Images)

Inexplicavelmente, Antonio Conte conseguiu ser expulso na metade do primeiro tempo, reclamando de um mísero escanteio. Ele nem conseguiu ver o gol de Rudiger, e ainda correu o risco de desorientar o time com sua atitude pouco louvável. Se desculpar com a arbitragem após o jogo foi o mínimo a ser feito.

Especialmente com a ausência do treinador à beira do campo, o time se mostrou um pouco desligado. O controle do jogo era nítido, tendo em vista as diferenças técnicas entre as equipes, mas o Chelsea pecava e colocava aquela placar magro em perigo constante. O jogo se arrastou num clima morno até o fim, e confirmou “apenas” os três pontos. A lição? Cada vitória é importante. O líder está 11 pontos adiante, e a corrida é longa até maio de 2018.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Lucas Sanches