Nem o “queridinho” VAR livrou a arbitragem de polêmicas

Não precisaria ser tão sofrido, mas o Chelsea passou pelo Norwich City e jogará a quarta fase da FA Cup. Em 120 minutos mais as cobranças de pênalti, o árbitro Graham Scott e seus auxiliares passaram por situações delicadas, e não saíram de campo sob bons olhos.

Podemos pular toda a parte chata do jogo – aqueles quase 90 minutos de futebol chato (mais uma vez) do Chelsea. Já no tempo extra, a pressão dos Blues sobre o adversário se intensificou ainda mais, proporcionando numerosas chances de ataque. Por mais que o nervosismo tenha tomado conta dessa parte final do jogo, faltou pulso da equipe de arbitragem.

Lance que gerou expulsão de Morata também foi alvo de polêmicas

É muito chato falar dos juízes, e nem mesmo Antonio Conte quis render o assunto. Especialmente após o tempo regulamentar, há muito do que se falar. A expulsão de Pedro nem precisa ser discutida, a de Morata pode até render assunto, mas a não marcação de lances perigosos fez a maior diferença. Em certo lance, Willian foi derrubado por Klose, e apenas recebeu cartão por simulação. Após a partida, o defensor dos Canários admitiu a falta.

Ratificando as palavras de Antonio Conte, é preciso melhorar muito o uso do árbitro de vídeo (VAR). Se um novo sistema é proposto, e com o objetivo de melhorar o esporte, que isso seja cumprido. Ressalvas a Willy Caballero, heróis da noite que acabou evitando um vexame ainda maior.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Lucas Sanches

Eterno projeto de jornalista. Apaixonado por futebol e viúvo do Fernando Torres. Hazard é o melhor jogador do mundo. Twitter: sanches_07