Hora de definir nossas prioridades

Vamos com calma. Mais uma vez, chegou o momento mais delicado da temporada: o fim de ano.  São jogos em uma sequência maluca, capazes de te levar ao topo ou à zona de rebaixamento, sem falar nos compromissos das copas, já nas primeiras semanas no novo ano. Para o Chelsea, ainda há de se lidar com um delicado duelo frente ao Barcelona. E agora, o que fazer?

Já nas últimas rodadas, vimos que Antonio Conte começou a rodar o elenco de uma forma importante. Nomes como Ampadu foram novamente colocados em campo, e alternativas sem um centro-avante foram testadas. Obviamente, tudo é uma grande experiência, e o italiano percebe que é o momento de se virar com o que tem em mãos.

Como olhar para cada campeonato?

É interessante ressaltar que cada campeonato que está por vir tem uma situação diferente. O título da Premier League está muito distante, apesar da terceira posição na tabela. Com a campanha do rival Manchester City, as chances chegam a ser apenas matemáticas. Estar entre os primeiros é obrigação, por isso fica justificada a importância dos jogos no fim do ano – podem criar alguma competitividade para as rodadas finais.

A FA Cup ainda está nos seus primeiros passos. Já no dia 6 de janeiro, os Blues fazem sua estreia contra o Norwich, pela terceira rodada. Ou seja, não há muito que se esperar ainda. Mas a tendência é mesclar jogadores novamente, ver como o time se encaixa e aí sim criar uma prioridade.

Na Copa da Liga, a situação é um pouco melhor. Os azuis jogam as quartas de final contra o Bournemouth no próximo dia 20 de dezembro. Avançando, são três jogos para o título, que pode servir de motivação para o decorrer da temporada.

Duas copas nacionais, premier League e UEFA Champions League. É hora de mostrar a força do elenco (Foto: Getty Images)

Eis que chega o grande desafio, que faz os olhos de qualquer torcedor brilhar. Passada a correria da virada de ano, o Chelsea faz dois jogos contra o Barcelona, pelas oitavas de final da UEFA Champions League. O confronto é equilibrado, e uma eliminação não seria vexame para nenhum dos dois lados, mas o Chelsea precisa mostrar que está de volta à Champions para ser protagonista.

Eliminar os espanhóis é a maior injeção de confiança que esse time precisa, e cabe a Antonio Conte fazer com que todo o processo até o mês de fevereiro seja o melhor possível, que sabe com os Blues vivos em todos os campeonatos.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Lucas Sanches

Eterno projeto de jornalista. Apaixonado por futebol e viúvo do Fernando Torres. Hazard é o melhor jogador do mundo. Twitter: sanches_07