Fantasia ou Vida Real? Uma questão com várias perguntas

Conte precisa de um estímulo para ficar no Chelsea? Segundo a imprensa europeia, sim. Já cantava Byafra em 1993: pode ser “fantasia ou vida real”. É claro que sobram especulações no extracampo do futebol, quando vai chegando o fim de uma temporada. No “Velho Continente”, como em qualquer outro lugar do planeta, não é diferente.

Mas o que chama a atenção é o suposto alvo de Roman Abramovich na próxima abertura do mercado da bola. Os jornais “Daily Star”, da Inglaterra, e “Tuttosport” (Itália) apontam os dedos para Neymar. O russo dono dos Blues estaria decidido a buscar um jogador do primeiro escalão mundial para evitar a perda do atual técnico, e o brasileiro seria o primeiro da lista. O ex-santista renovou vínculo com o Barcelona até 2021, com uma cláusula de rescisão na casa dos 250 milhões de euros (aproximadamente R$ 845 milhões), o que, por si só, coloca o negócio beirando o impossível.

No entanto, o “Tuttosport” relata que o próprio treinador italiano barraria a tentativa de sucesso na negociação, entendendo que, para a chegada de um astro é necessária a saída de outro da mesma posição.

Curiosamente, dias antes, o camisa 10 da Seleção Brasileira revelou, em entrevista ao britânico “The Sun”, o desejo de, no futuro, atuar na Premier League. Entre os clubes que lhe chamam a atenção na Terra da Rainha, ele citou Manchester United, Arsenal, Liverpool e… O Chelsea. Além de dizer que gostaria de trabalhar com Mourinho (do primeiro citado) e Guardiola, comandante da outra potência econômica da cidade de Manchester, o City.

O pacote de informações pode confundir a cabeça do torcedor/leitor. Alguns vão levar a sério e alimentar a ideia. Outros irão ignorar e cravar que nada passa de mais um burburinho da mídia de lá para mexer com a paixão do público e atraí-lo.

De uma forma ou de outra, seja se direcionando para a realidade ou para a ficção, vale o exercício de imaginar. E são várias as subquestões a se pensar.

1- Neymar mudaria o patamar do Chelsea até que ponto, projetando uma briga árdua pela Champions League?

2 – Será que existe alguma possibilidade de o atacante deixar o atual campeão espanhol?

3 – É realmente preciso que alguém do setor (no caso, o ataque) deixe Stamford Bridge para o desembarque de uma estrela? Se sim, quem? Diego Costa, que, embora não dispute o mesmo espaço em campo, recebeu recentemente uma baita proposta da China? Outro?

E, por último, as perguntas que remetem ao início do texto:

4 – Vale a pena tamanho esforço para manter um treinador?

5 – É possível Conte abandonar o barco em busca de fazer sucesso com um gigante adormecido de seu país? (lembrando que o clube de Milão pode investir pesado na contratação de atletas para a nova temporada que se aproxima, o que, em tese, resultaria em um ótimo elenco).

Por enquanto, não há respostas certas nem erradas para essas indagações. Então… Vai no raciocínio lógico de quem lê. É como figuras da potência de Antônio Fagundes, Tony Ramos e Susana Werner falavam nas noites de quinta-feira, entre 1992 e 2000:
O final (imaginário) da história…

“VOCÊ DECIDE”!

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Category: Opinião

Tags: