Fàbregas que ficar no Chelsea. E agora, Sarri?

Um plantel “derrubado” de amores pelo novo treinador. Essa é a sensação que o colunista que vos fala tem observando as declarações de integrantes da equipe londrina. Mesmo sem a sequência de embates, Cesc Fàbregas se juntou ao extenso grupo de atletas que elogiaram o novo comandante do Chelsea. Vale ressaltar que o atleta vivencia uma disputa constante por uma vaga entre os titulares da equipe londrina. Por outro lado, o cenário londrino não está excepcional ao espanhol, que pode sair da equipe em um momento de exaltação do time. Principalmente, em relação ao modelo de jogo de Sarri, Um modelo que favorece e exalta o setor do meio-campo.

Joga (ou não joga) por música

Recentemente, em veiculação feita pelo Daily Mail, Cesc Fàbregas disse palavras de carinho/afeto/ternura para com o seu novo treinador. “Eu estou com o time somente por duas semanas, após ficar sete ou outo semanas fora. […] E eu me sinto muito bem. Eu sinto sensações no comando no Sarri que eu nunca pensei que sentiria novamente”, afirmou o atleta do Chelsea para com o seu líder quase que messiânico, digo, “sarriânico”.

Em outras palavras e, musicalmente falando, Fàbregas tem um “coração dividido entre a esperança e a razão”.

“O jeito que ele vê o futebol é algo que, talvez no futuro, se eu me tornar um técnico, acho que eu farei algo muito similar com o que ele faz. É o que eu gosto e como eu vejo o futebol”, disse Fàbregas sobre a proposta de jogo do treinador. Essa frase dele é recorrente não só entre atletas, mas entre os próprios treinadores da nova geração. A implementação de um futebol de posse, ofensivo, muito bonito de se assistir e convincente é o sonho de qualquer indivíduo ligado ao futebol. Assim como a bola passar 150 vezes pelos pés de um meio-campista organizador é o sonho de qualquer atleta da meia-cancha. Não é mesmo, Fàbregas?

Questões contratuais

Por falar em Fàbregas, o contrato do atleta está na reta final. Oito meses para expirar o vínculo do espanhol com Chelsea. “Estou super aberto/apto sobre isso (renovação). O clube não disse nada. Tenho oito meses restantes e, até o momento, eu vou embora. Mas amaria ficar”, apontou Fàbregas ao Daily Mail. É válido ressaltar que Fàbregas participou do embate válido pela Europa League, diante do Mol Vidi, e participou da jogada do tento londrino.

Além disso, há necessidade de abordar um tópico importantíssimo: a política de extensão contratual do Chelsea para atletas com idade acima de 30 anos. O atleta de 31 anos é consagrado na equipe londrina, tem uma passagem de conquistas e ótimos momentos. Entretanto, não depende exclusivamente do espanhol para a renovação. Normalmente, a equipe de Stamford Bridge oferece uma extensão de um ano para atletas que chegam na marca de 30 primaveras. E claro, a situação depende da pessoa que ele tanto exaltou na entrevista: Maurizio Sarri. “Eu gostaria que ele tivesse chegado um pouco antes. […] É um pouco tarde agora para a minha carreira”, concluiu o espanhol em trecho da entrevista coletiva veiculada pelo Guardian.

Ou seja, “pobre coração, bem melhor que não tivera”.

Southampton x Chelsea

Possível escalação para domingo: Kepa; Azpilicueta, Rudiger, David Luiz e Alonso; Jorginho, Kanté e Kovacic; Willian, Hazard e Giroud.

Obs: Minha coluna na semana passada: clique aqui

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.