E os atacantes?

Nesta segunda-feira (10), o Chelsea deu o seu primeiro passo para a temporada 2017/2018. A equipe defenderá o título da Premier League, voltará a disputar a UEFA Champions League, além das Copas. É uma temporada que, ainda nem começou, mas já conta com bastante expectativa por parte dos torcedores. Porém, um fator vem incomodando boa parte da torcida neste momento: quem vai ser o atacante do clube na temporada?

Na temporada passada, o Chelsea marcou 109 gols na temporada. Uma marca expressiva, com média de 2.3 gols por partidas. Diego Costa foi o artilheiro com 22 gols, seguido por Eden Hazard (17), Pedro (13) e Willian (12).

A situação começou a ficar um pouco preocupante quando Diego Costa anunciou em entrevista após uma partida pela Espanha que Antonio Conte teria enviado uma mensagem de texto para ele dizendo que o jogador não faz parte dos planos do treinador para a próxima temporada. Existem diversos lados nessa história, mas o fato é que o atacante não se apresentou para o início da pré-temporada hoje, só aumentando os rumores da eminente saída.

Diego é um grande centroavante. Em suas três temporadas no Chelsea, marcou 59 gols e foi uma solução para o setor que vivia carente desde a saída de Didier Drogba. Porém, sua ligação com o Atlético e as constantes declarações de que gostaria de voltar a Espanha no futuro acabaram com a paciência de Conte. Convenhamos, Diego pode ter esse desejo, mas fica realmente chato e coloca uma certa pressão nos clubes. Além de que não é uma conduta muito profissional com o Chelsea, seu patrão.

Diego Costa deverá voltar a sua antiga equipe (Foto: Getty Images)

Agora, o lado do Conte também não foi feito da melhor maneira. Dispensar o jogador por mensagem de texto no início das férias é muito baixo. Uma parte de mim, ainda quer acreditar que existiu uma reunião pessoal entre os dois. Além disso tudo, foi um episódio que desvalorizou Diego Costa absurdamente. Segundo o site transfermarkt, Diego tinha um valor de mercado em torno de £45 milhões e a mídia trabalha que o Atlético teria feito uma proposta de £26 milhões, rejeitada pelos ingleses.

A punição aos Colchoneros impediria Diego de jogar até Janeiro, mas o atacante estaria disposto a isso para sair do Chelsea. Besikitas surge como alternativa de empréstimo. Sem Diego, o ataque dos Blues se limitaria apenas a Michy Batshuayi, que encontrou muitas dificuldades em sua primeira temporada. No elenco, ainda tem jogadores como Pedro, Willian e Hazard, os artilheiros seguintes do clube na temporada, mas nenhum centroavante. E sempre bom lembrar que Hazard fraturou o tornozelo em treino com a Bélgica e deverá perder toda a pré-temporada.

Essa até então falta de opções no ataque pode ser preenchida por duas maneiras: contratações ou jogadores da base. Jogador do Chelsea até 2014, Romelu Lukaku fez sucesso no Everton e foi anunciado como reforço do Manchester United. Rumores de que o clube tentou de tudo para seu retorno, mas o jogador preferiu os Red Devils. Outro nome bastante ventilado no noticiário é de Álvaro Morata. Uma negociação que não custaria menos de £70 milhões, o que não seria um mau negócio dar uma chance a algum jogador da promissora categoria de base.

Solanke poderia ser uma grande opção (Foto: LFC/Reprodução)

O Chelsea tem uma base forte que ficou bastante em evidência nos últimos anos por conquista de títulos da categoria e ter constantes nomes na lista de melhores jogadores jovens da Inglaterra, mas sem grandes chances no time superior. Nesta inter-temporada, aconteceu o Mundial Sub-20 e o Europeu Sub-21, competições que também servem como garimpo para reforçar as equipes do futebol europeu. A Inglaterra foi campeã na primeira e semifinalista na segunda com jogadores do Chelsea sendo fundamentais nas campanhas.

O caso mais frustante dessa janela de transferência aconteceu com Dominic Solanke. Há anos dito como uma das grandes promessas da Inglaterra, o jogador de 19 anos foi eleito o melhor do Mundial e marcou quatro gols na campanha vitoriosa do English Team. Seu destino: o Liverpool. Por £3 milhões. No mercado inglês super inflacionado, isso beira a piada. Ainda mais vindo de um clube que sabia que vai perder seu atacante principal e um dos seus melhores jogadores ofensivos está machucado até o início da temporada e tinha a custo zero um diamante a ser lapidado. Era uma chance de ouro, para o Chelsea e para Solanke.

Mas chegamos no dia 10. Primeiro treino da equipe e até agora não sabemos quem será nosso atacante.

Category: Opinião

Tags: