Dói sim ver talentos que uma vez eram Chelsea, fazendo sucesso em outras equipes

Uma pauta que me veio à cabeça enquanto acompanhava o empate entre Liverpool e Chelsea por 1-1 era a tal discussão: “O Chelsea não se aproveita dos seus talentos!”. Você caro torcedor blue, já deve ter aberto algum tópico aí pela internet ou mesmo visto alguma postagem em determinado grupo nas redes sociais em que existem essa reclamações.

São alguns casos que deixam o torcedor do Chelsea de cabelo em pé: Mohamed Salah no Liverpool, Kevin de Bruyne no Manchester City e Romelu Lukaku no United. Imagem só, tanto o egípcio quanto o belga fazendo um quarteto ofensivo com Eden Hazard e Álvaro Morata? (Apenas para citar o espanhol). Não dá para dizer que seríamos imbatíveis, mas no mínimo estaríamos ameaçando o trono de Pep Guardiola nos citizens.

Muita gente afirma que “não se pode chorar o leite derramado”. Tanto Salah quanto De Bruyne não atravessavam seus melhores momentos e acabaram no olho da rua graças à José Mourinho. Foram vendidos por um bom valor de mercado, é verdade, no entanto, foram sim desprezados.

Oscar era o tal “camisa 10” de Mourinho (embora ele vestisse a #11 e posteriormente a #8). Ele enxergava no brasileiro sua principal arma na criação de jogadas ofensivas. Todavia, não virou tudo aquilo que se esperava dele. De Bruyne, por outro lado, se valorizou demais no Wolfsburg, causando o famoso arrependimento no chefe português (embora ele não admita).

Salah e Lukaku sequer figuravam entre os reservas. Eram opções apenas quando alguém se lesionava ou acabava suspenso. E por isso passaram por incontáveis empréstimos. E mesmo tendo sucesso neles, jamais conseguiram algum prestígio.

É muito preciosismo também afirmar: “ah, se eles tivessem feito sucesso no Chelsea…”, afinal não estamos em uma linha paralela do tempo para dizer com 100% de certeza que isso ocorreria. Mas que dói ver essas estrelas ex-blues brilhando nos rivais, ah se dói.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Vinícius Paráboa