Demitir Conte ou se livrar de jogadores? Qual é a melhor opção? - Chelsea Brasil

Demitir Conte ou se livrar de jogadores? Qual é a melhor opção?

Em entrevista nesta quinta-feira, o ex-jogador e capitão do Chelsea, Marcel Desailly, acendeu uma discussão muito boa e pertinente. Para o francês, demitir Antonio Conte ao término da temporada não é a melhor solução e ele pede que a diretoria considere, ao invés disso, vender quatro ou cinco jogadores. Confira abaixo a fala dele:

“O que estava funcionando com Conte na última temporada não pode mudar tão de repente nesta. Antes eles (diretoria) mudaram o treinador e mantiveram os jogadores. Agora eles devem manter o técnico e vender quatro ou cinco atletas”, disse. “Está sendo um fracasso coletivo no Chelsea desta temporada. Não creio que seja culpa de Conte.”

Esta última frase de Desailly é o ponto-chave para que eu discorde um pouco dele. Quando o fracasso é coletivo, todos, sem exceção, são culpados. O treinador italiano errou feio ao tirar Diego Costa dos blues daquela maneira, brigar com David Luiz que foi um dos pilares do time em 2016/17 e insistir com certos ‘bruxos’ entre os onze titulares, tal qual é o caso de Bakayoko.

Mas ao mesmo tempo, não é uma isenção da culpa dos próprios jogadores. Recebem salários altíssimos em um clube com tamanha estrutura como é a do Chelsea e rendem abaixo do esperado muito por conta de birras. Não é a primeira vez que falo isso aqui, em 2015/16 foi exatamente a mesma história.

E pela história estar se repetindo, talvez o melhor caminho seja mesmo a mudança. Não de comando técnico e sim de postura. Se a troca de José Mourinho para Conte trouxe resultados imediatos dentro de campo, apenas jogou para debaixo do tapete um velho problema: ego de jogadores. Creio que precisa haver competência por parte da cúpula dos Blues e fazer caixa com alguns desses jogadores, desde que contrate-se bem no verão europeu. Nada de Drinkwaters ou Girouds da vida.

Eu apoio a manutenção do italiano. Veja só, por mais que há de se criticá-lo, ele mesmo mudou alguns conceitos em Stamford Bridge. Saiu do velho e manjado 4-2-3-1, implantou um novo estilo de jogo e ainda começou a aproveitar atletas da base de Cobham, algo raríssimo naquele lugar. Nós que pedimos tanto para ver nomes que sempre alcançam canecos nos juniores entre os profissionais não podemos ignorar esse fato.

E você, o que faria se fosse o diretor do Chelsea?

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Vinícius Paráboa