Oscar

Três jogadores que deveriam ser vendidos na Era Conte

A temporada está engatinhando, reforços estão sendo apresentados e Antonio Conte ainda vai conhecendo as peças do seu elenco. Por isso, é surreal querer analisar jogos de pré-temporada que não valem absolutamente nada. Em minha volta, depois das férias, vou sugerir três jogadores que deveriam ser vendidos ainda nessa janela de verão europeu.

1) Gary Cahill

Cahill analisou derrota para o PSG (Foto: Getty Images/Reprodução)
Seu tempo no Chelsea acabou (Foto: Getty Images/Reprodução)

Ele é leal, simpático e foi capitão da Inglaterra na última Eurocopa. Apesar de tudo isso, eu diria que o tempo desse zagueiro no Chelsea acabou. Na última temporada, pudemos observar o seu declínio técnico e tático. Até a lesão de Zouma, Cahill era banco indiscutível no time de Mourinho e, posteriormente, Hiddink.

Na Euro, vimos um zagueiro compromissado, porém fraco no English Team. O fracasso da seleção inglesa no torneio europeu talvez simbolize a sua braçadeira de capitão. E, inexplicavelmente, a direção azul renovou por quatro anos com um zagueiro de 29 anos. Qual a lógica? Além disso, é possível citar que jovens da base, como Christensen e Aké, estão pedindo passagem e a permanência de Cahill atrapalha esse processo.

2) John Obi Mikel

Mikel pode ser suspenso (Foto: PA).
Mikel deve perder ainda mais espaço (Foto: PA)

São dez anos no Chelsea e o posto de um dos jogadores mais antigos no clube. Mas o tempo chega pra todo mundo. Apesar de ser ainda jovem, tem 29 anos, Mikel já não tem tanto prestígio nos Blues e, a exemplo de Cahill, atrapalha os jovens que pedem passagem. Com a contratação de Kanté, a tendência é que o nigeriano praticamente não jogue, ainda mais numa temporada sem jogos em competições europeias.

Ademais, podemos citar o retorno e a necessidade de aproveitar o garoto van Ginkel, que tem bastante potencial  foi bem nos empréstimos da última temporada – o holandês jogou no Stoke City e no PSV.

3) Oscar

Oscar é o destaque da capa da Chelsea Magazine.
A revista antiga mostra aonde está Oscar hoje (Reprodução)

A expectativa era enorme. Desde a contratação de Oscar, há quatro anos, esperamos um jogador regular e que mantenha o alto nível do meio de campo. É bem verdade que esse nível chegou e Oscar jogou muita bola na temporada 2014-2015. José Mourinho, inclusive, chegou a optar pela permanência do brasileiro em detrimento de Juan Mata e Kevin de Bruyne. No caso do Mata, é válido ler este texto aqui.

Desde essa questão, Oscar jogou muita bola, como já falado, e depois não manteve o nível. Com certeza, ele não estaria entre os meus onze para a primeira rodada da Premier League. E dado que eu não consigo visualizar uma volta àquele futebol vistoso, fica a questão: por que não vendê-lo e ganhar muito dinheiro?

Sem explicação: O empréstimo de Kalas ao Fulham não tem a menor lógica. No momento em que precisamos de bons zagueiros, por que se desfazer de um que é extremamente promissor? Bola fora da diretoria.

Em tempo: A contratação de Kanté se torna uma boa ao ver que os titulares Matic e Fàbregas não tem substitutos à altura.

Dica de amigo: A estreia de Luiza Sá como colunista do Chelsea Brasil é uma boa pedida, vale a sua leitura. Não deixe de acessar, clicando aqui.

Corneta da semana: Até quando teremos que aguentar o descaso do Chelsea com a sua base?

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: