hiddink--we-are-growing.img

Respostas para uma temporada fadada ao fracasso

Mais uma partida e mais um resultado com sabor amargo. A rodada ajudou, mas o Chelsea não. Se tivéssemos vencido, estaríamos lutando por uma vaga na Champions. É triste, mas há muito tempo não víamos uma temporada acabar em Março.

Desde já, agradeço a participação dos leitores via email (rafael@chelseabr.com). As perguntas eram pertinentes, e as respostas também foram. Vamos à elas:

  • Você mandaria Michael Emenalo embora? Por quê?

“Acho que a demissão do Michael Emenalo é iminente. Desde que subiu para o cargo de diretor técnico acertou pouco e errou muito, tanto com o horrível planejamento da base e do time profissional, tanto com contratações totalmente equivocadas. E, para mim, o maior exemplo de sua incapacidade de dirigir um time com a grandeza que é o Chelsea e a falta de planejamento com que os ídolos do time foram e, atualmente com John Terry, são tratados. Acabou que os jogadores mais importantes da história do clube o deixaram como jogadores quais queres, sendo que todos tinhas um evidente interesse de se aposentar ou continuar no clube.” (Gabriel Geaquinto)

  • Conte ou Sampaoli?

“Citando Chelsea Brasil:

‘O próprio argentino, afeito de algo próximo do futebol total, com posse de bola, troca de posições constantes, passes curtos e pacientes equilibrados com contra ataques rápidos e de passes precisos, e acima de tudo sistema de jogo ofensivo, em que praticamente todos atacam e todos também marcam, mesmo sem posições rígidas.’ 

Ao meu ver, analisando nosso plantel, Sampaoli simpatiza muito com o estilo de jogo do elenco atual. Troca de posições são características do nosso trio de meias, enquanto jogadas com passes curtos também ocorreram ao longo do tempo, com Hazard, Fàbregas, William, Oscar e parando no matador, Diego. Contra ataques mortais e um sistema defensivo bem trabalhado, com William e Oscar sempre voltando bem e desarmando, Hazard cobrindo espaços, mesmo sem apresentar grande apoio defensivo, e Diego por vezes voltando em jogadas de bolas paradas, pressionando o adversário e sem desistir das jogadas. É claro que essas características foram bem mais presentes na temporada 14/15, mas são funções que já vimos o elenco realizar, e muito bem por sinal. A contratação do técnico deve passar primeiro pela diretoria do clube, após reanalisar a temporada e ver quais são os jogadores que vão ser reaproveitados em vista da iminente reformulação. Podemos ver quais as caraterísticas de cada jogador, e trazer um técnico para tirar o melhor dessas características é o mais viável.

‘O outro, Conte, é adepto de um futebol de resultado, por assim dizer, da escola típica italiana. Defesas sólidas e priorizadas. Construção do time baseado primeiro na solidez da marcação e só depois buscar os resultados, geralmente por curtas margens no placar, a partir do erro dos outros. Seus times têm jogadores com posições e funções rígidas e definidas. Times de especialistas. Muito bem organizados e táticos, mas pragmáticos. Não atoa, Conte é treinador da Seleção Italiana.’

 A vinda de Conte seria ainda aprovada pela minha parte. É um técnico muito bom que já provou seu valor. Uma defesa sólida foi uma das características do Chelsea campeão de Mourinho, mas essa mesma defesa estava no Chelsea da temporada 15/16 e tem sido desastrosa em vários aspectos. Um treinador que sabe organizar uma boa defesa, como é Conte, certamente seria de grande valor, afinal, do que adianta trazer de volta a fase de Hazard, e já como vem acontecendo, Diego e Fàbregas, se a defesa vacila e entrega jogos? Como já disse antes, a contratação do técnico tem que passar inteiramente pela diretoria do clube e do planejamento que este está a fazer em relação ao Chelsea. Mas isso parece algo muito utópico, pois como já citado no Chelsea Brasil, essa diretoria parece cada vez mais incompetente.

Diante do apresentado, eu creio que ambas as opções parecem boas, e a proposta do técnico para com a diretoria que vai ser determinante, diante do que este pretende fazer com o clube.” (Tulio Henrique)

  • A temporada de Eden Hazard é patética. Você venderia o belga na próxima janela?

“Eu não venderia o belga por ele ser um dos principais do elenco. Entretanto, exigiria mais comprometimento dele a partir das férias de julho, e, na pré-temporada, para perda de peso e adquirir forma física.” (André Luiz)

  • A substituição de Mourinho por Hiddink foi boa?

“Por mais que eu idolatre José Mourinho, é notória a mudança na postura e no clima da equipe após a saída dele. O time precisava de alguém que acalmasse e motivasse novamente os jogadores, e nesse sentido, acredito que Guus Hiddink foi bem até certo ponto. A mudança de postura de jogadores como Diego Costa e Fábregas foi notória e Mikel chegou a dizer que 99% do time quer que ele continue.

O grande problema de Hiddink foi justamente o excesso de passividade. Nos momentos em que o time precisou de uma injeção de ânimo, alguém que botasse fogo no time e fizesse o Chelsea partir pra cima, não havia ninguém no banco pra fazer isso. Ele foi respeitoso demais em partidas que deveríamos ter partido pra cima e isso culminou nas duas eliminações da semana passada. Ainda assim, a troca de treinadores foi necessária para evitar uma temporada ainda mais desastrosa.” (Joel Neto)

Sem explicação: A chegada de Alexandre Pato se mostra um fracasso. O cancelamento do seu contrato de empréstimo seria a cereja no bolo de uma temporada azeda. Dito isso, por que contratamos Pato?

Em tempo: A saída por empréstimo de Blackman é mais um tiro no pé. Fica difícil confiar na diretoria londrina…

Dica de amigo: A entrevista com Kenedy, material exclusivo do Chelsea Brasil, está ESPETACULAR! Não deixe de acessar, clicando aqui.

Corneta da semana: A perseguição da FA beira o inacreditável. Dessa vez, ela acusou Diego Costa pela confusão na semana passada. Fica difícil jogar futebol assim…

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: