download

Ode ao maior de todos

Uma semana sem jogos do Chelsea é uma semana incompleta. Essa pausa na Premier League para o calendário FIFA coincidiu com uma data histórica. Na terça-feira (8) a nação azul celebrou os 20 anos da contratação do lendário Gianfranco Zola. Considerado o maior atleta do Chelsea, o pequeno mágico desembarcou no Stamford Bridge no dia 8 de novembro de 1996 e herdou a camisa 25.

Zola já era considerado um grande jogador pelo seu desempenho na Itália por clubes como Napoli, ao lado de Diego Maradona e no Parma – além de ter se destacado pela seleção (onde foi vice-campeão do Mundo em 94).

À época o comando dos Blues estavam nas mãos de Ruud Gullit. Zola fez parte de uma geração brilhante do Chelsea atuando ao lado de nomes como Roberto Di Matteo, Jimmy Floyd Hasselbaink, Frank LeBouef, Gus Poyet, Gianluca Vialli, Carlo Cudicini e Dennis Wise. Juntamente com esses nomes Zola contribuiu para o crescimento do Chelsea, conquistando títulos nacionais e internacionais, demonstrando aos ingleses que os azuis de Londres tinham sim história.

O maior de todos, o dono da camisa 25 (Foto: Chelsea FC)
O maior de todos, o dono da camisa 25 (Foto: Chelsea FC)

Servindo ao Chelsea Zola atuou em 312 partidas, tendo vestido azul por 7 magníficos anos. Sua estreia foi diante do Blackburn Rovers, fora de casa em um empate. Os anos seguintes hoje são belas lembranças… O dono da camisa 25 foi decisivo na campanha do título da Copa da Inglaterra de 1997.

Na temporada seguinte mais três troféus: Copa da Liga, a UEFA Cup Winners’ Cup e a Supercopa UEFA. Com a virada do século Zola começou a perder espaços no time principal, mas sempre que entrava ajudava com atuações decisivas na Champions League e na conquista do título da Copa da Inglaterra na temporada 1999-2000. Ainda sobrou tempo para o que viria a ser seu último título pelos Blues, na Supercopa da Inglaterra de 2000.

Em suas duas últimas temporadas – 2001-2002 e 2002-2003 – o Chelsea passava por um rejuvenescimento sob o comando de Claudio Ranieri. Os medalhões cediam espaço para nomes novos e Zola não teve tanto espaço. Como uma fênix o gênio renasceu das cinzas para encerrar sua passagem em Londres.

Foram 16 gols e prêmio de Jogador do Ano do Chelsea. O último ato de um ícone: 11 de maio de 2003, os Blues recebiam em casa o Liverpool. Zola iniciou a partida como reserva, mas quando acionado destruiu a zaga adversária com toda sua categoria.

Dribles, gols de falta, jogadas geniais. Assim Zola alegrou a torcida em 312 partidas e 89 gols. Para coroar todo esse talento a torcida escolheu o Pequeno Mágico como o Melhor Jogador de Todos os Tempos do Chelsea com 9.805 votos, em 2003. Antes de se aposentar do futebol como atleta, Zola retornou a Itália. Hoje o ex-dono da camisa 25 é treinador.

O carinho e respeito a Zola é tamanho que desde sua saída do Chelsea, há 23 anos, nenhum outro jogador vestiu a camisa de número 25. A prova mais recente da admiração por esse mito foi na partida entre West Ham e Chelsea pela Premier League 2008-2009, onde pela primeira vez o Mágico voltava ao Stamford Bridge como adversário e recebeu uma ovação dos Blues.

As palavras no texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: