(Foto: Reuters)

O Chelsea bronzeado

No último final de semana não tivemos apenas a 2ª rodada da Premier League, mas também as duas partidas que fecharam os Jogos Olímpicos no futebol. Pela grande final o Brasil derrotou a Alemanha nos pênaltis após empate no tempo normal por 1-1. Mas gostaria de voltar nossa atenção para a disputa do 3º lugar onde a Nigéria bateu Honduras em jogo emocionante, no qual o resultado terminou 3-2.

A coluna de hoje, no entanto, não vai abordar as partes táticas das seleções. Até porque, estamos em um site que fala sobre o Chelsea Football Club, então obviamente precisa haver esta relação. Quero abrir debate em específico para John Michael Nchekwube Obinna, que recentemente foi ao cartório para mudar seu nome oficialmente para John Obi Mikel.

O volante dos Blues teve papel importantíssimo na campanha de seu país aqui no Brasil, e muito dessa medalha de bronze deve-se ao médio nigeriano. Passes precisos, arremates de média distância e experiência foram os fatores que mais chamaram atenção.

Primeiro de tudo, já sabemos que Mikel é capitão da seleção principal, quiçá de uma seleção sub-23, que disputou a Olimpíada. Portanto, não é novidade alguma ele ter a experiência e tranquilidade para passar aos seus companheiros.

No entanto, o torcedor do Chelsea que assiste seu desempenho com a camisa da Nigéria se pergunta o por que dele não fazer o mesmo nos Blues. Trata-se tudo de uma questão de posicionamento. Pelo seu país, Mikel trabalha como armador, posição que fez com que a diretoria o tirasse do Manchester United em 2006.

Na sua carreira, por outro lado, ele se transformou. Assim como Branislav Ivanovic, que deixou de ser zagueiro para ser lateral-direito ou César Azpilicueta que passou da direita para a esquerda. Mikel foi recuado por José Mourinho (ainda em sua primeira passagem), que enxergara nele sua incrível capacidade de desarme. Ele não estava errado. Mas isso fez com que sua vertente de desenvolvimento mudasse completamente. O volante deixou de trabalhar seu passe, passou a focar em roubadas de bola.

Na Nigéria, os treinadores ainda o enxergam como aquele atleta que surgiu no início da carreira, e dão a ele a oportunidade de atuar pela meia-cancha. Difícil acreditar né?

De qualquer forma, pasmem: ele é o único atleta em todo elenco do Chelsea que tem uma medalha (sem contar o Chelsea Ladies). Honraria para poucos. É o ‘Chelsea bronzeado’.

Nota breve: Impressionante a superação do Chelsea sobre o Watford no último sábado. E por falar em nigerianos, Victor Moses mudou a partida, indo muito bem. E mais uma vez, os Blues de Antonio Conte fizeram a torcida passar sufoco. Ufa!

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: