lampard-4

Lampard: A grande oportunidade do Chelsea

Ryan Giggs, Paul Scholes, Jamie Carragher são apenas alguns dos grandes nomes do futebol inglês que partilham algumas caraterísticas em comum: foram autênticas lendas nos seus clubes (Manchester United para os dois primeiros e no Liverpool para o central inglês), são todos ingleses, e, também significativamente, terminaram a sua carreira de futebolistas nos seus clubes de coração, que representaram toda a vida.

Após este parágrafo inicial, certamente que o leitor já está a adivinhar aonde é que pretendo chegar com a coluna desta semana: o regresso, ainda como jogador, de Frank Lampard ao Chelsea.

Lampard tem 38 anos e em condições normais nunca será titular neste Chelsea, mas a sua experiência e importância em unir o balneário poderiam ser de grande ajuda para o Chelsea, se queremos mesmo lutar pelo título, além disso, Lampard ainda possui algumas caraterísticas que, em certos e específicos momentos, poderiam ajudar o Chelsea em campo: continua a ser um exímio rematador e continua com uma excelente visão de jogo, como os seus 15 golos em 31 jogos em Nova Iorque mostraram.

Mas, como é evidente, o Chelsea pode arranjar um jogador para o centro do terreno que dê mais garantias e proporcione um maior número de mais-valias que Lampard, se quiser reforçar o miolo em janeiro, caso Oscar, por exemplo, saia.

O hipotético regresso ainda como jogador de Lampard tem, por isso mesmo, muito mais significado do que o que ele ainda poderia dar em campo ou no balneário, o regresso de Lampard viria colmatar e corrigir uma grande falha que o Chelsea tem tido: valorizar as suas lendas. Deixámos partir Cole, Cech, Drogba, e nenhum deles se irá retirar no Chelsea. Mas, com Lampard, o Chelsea tem a possibilidade de corrigir tudo isso, de mostrar que não é apenas um clube grande, mas um grande clube, que valoriza os seus maiores heróis.

E seria ideal para Lampard, também: viria em Janeiro e terminaria a sua brilhante carreira com uns últimos seis meses no Chelsea.

Todos sairiam a ganhar com esta solução: a performance da equipa não sofreria nenhum dano, o balneário ganhava mais um líder, a direção do Chelsea mostrava que respeita e valoriza as suas lendas (neste caso, talvez, a maior), e nós, fãs do Chelsea e de Lampard, teríamos uma última oportunidade de nos despedir-nos do inglês, quem sabe, até com o título de campeão.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: