conference-call-a-win-for-willian-img

Estamos no caminho certo

A data Fifa fez muito bem ao Chelsea. Com a pausa na Premier League sobrou tempo para Antonio Conte trabalhar sua nova formação, testar os garotos e consolidar o que já havia percebido desde a pré-temporada: estamos no caminho certo.

A vitória diante do Leicester, atual campeão inglês, foi maiúscula. A equipe criou mais do que seu adversário, se impôs dentro de campo e marcou três gols. A cereja no bolo foi o clean sheet. Mérito de Conte por insistir no 3-4-3 (apesar de ainda acreditar que a limitação técnica do time continue sendo nosso maior problema e não a tática, mas Conte faz milagre com o que tem mãos).

Diego Costa is on fire! O coração do Chelsea de Conte segue balançando as redes (Foto: Glyn KIRK / AFP)
Diego Costa is on fire! O coração do Chelsea de Conte segue balançando as redes (Foto: Glyn KIRK / AFP)

Diego Costa continua absoluto e como o próprio Conte frisou na coletiva pós-jogo. A paixão do Costa é algo necessário em nossa equipe. N’Golo Kante impecável no meio-campo, Marco Alonso evoluindo a cada partida, assim como Cesar Azpilicueta e o sistema defensivo vive dias melhores. Devo abrir um parêntese para elogiar a evolução de Victor Moses – uma aposta de Conte – e o nigeriano está correspondendo às expectativas do comandante.

Mais do que vencer o atual campeão inglês me alegrou acompanhar a entrada dos jovens atletas Nathaniel Chalobah (em sua 100ª partida, a primeira diante da torcida azul em Stamford Bridge), Ruben Loftus-Cheek e Ola Aina na equipe principal. Na coluna passada dissertei justamente sobre como o Chelsea erra em sua política. É um avanço, entretanto não será Conte o responsável pela mudança total. Existe um processo, finalmente tornamos a tratar sobre essa temática (obrigada, Conte).

Foi uma semana com partidas pelas seleções, a morte da mãe do Willian (a vitória foi para vocês), fim do contrato com a Adidas e chegada da Nike para 2017. Um acordo milionário, sem dúvida alguma fará bem para ambas as partes: à empresa por continuar patrocinando um grande clube na Premier League e aos Blues não apenas pelo retorno financeiro, mas pela exposição a nível mundial.

As palavras neste texto condizem coma opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: