Brasileiro recebeu poucas oportunidades em sua primeira temporada

Colunas: Análise das laterais – e a pergunta que fica: afinal, o que fazer com Filipe Luís?

Brasileiro recebeu poucas oportunidades em sua primeira temporada
Brasileiro recebeu poucas oportunidades em sua primeira temporada

No último sábado, analisei a situação envolvendo a manutenção de Thibaut Courtois como titular e o provável adeus de Petr Cech, insatisfeito com a reserva. Dando continuidade, será a vez de dissecar o momento das laterais dos Blues, destaque positivo do clube na temporada 2014/15.

Intocável, Branislav Ivanovic, com 31 anos, disputou 36 dos 38 jogos como titular na campanha vitoriosa do Chelsea na Barclays Premier League. Sem dúvidas, é o homem de confiança de José Mourinho. O lateral-direito, entretanto, tem se destacado mais ofensivamente do que na defesa: foram seis gols envolvendo todas as competições, inclusive na semifinal diante do Liverpool pela Capital One Cup, que nos levou a Wembley para o confronto frente ao Tottenham, vencido pelos Blues por 2 a 0.

O sérvio, no entanto, oscilou em determinados momentos da temporada. Alguns gols sofridos tem sua parcela de culpa – mas nada grave. Ivanovic é um jogador que raramente se machuca e, caso necessite ajuda no setor direito, pode contar com o auxílio de César Azpilicueta.

Com tantos gols decisivos na carreira, a permanência e titularidade do sérvio é quase certa. É importante, inclusive, renovar seu contrato, pois clubes como o Bayern de Munique está de olho no lateral.

Do outro lado do campo, o Chelsea está tão bem servido que isso pode acabar sendo um problema. César Azpilicueta foi titular em 28 jogos pela Premier League e foi um dos destaques positivos dos Blues na temporada 2014/15. Sua qualidade defensiva agrada Mourinho.

A manutenção do espanhol na lateral esquerda, todavia, pode ser um problema para Filipe Luís, que chegou aos Blues nesta temporada e teve dificuldade para se adaptar, tanto que disputou apenas oito jogos como titular na Premier League – número muito baixo para um jogador que custou cerca de 20 milhões de libras.

Então, fica o questionamento: o que fazer com um jogador, considerado o melhor lateral-esquerdo da última edição do Campeonato Espanhol, no banco de reservas? Trocá-lo por outro jogador sempre é uma possibilidade, ainda mais quando a imprensa esportiva noticia que Filipe pode retornar ao Atlético de Madrid, que por sua vez cederia, com mais algum valor, o meia Koke.

O imediatismo do clube, entretanto, é algo que considero errado. Se nos desfazermos de todo jogador que não se adapta em sua primeira temporada na Inglaterra, então teríamos que vender muitos jogadores, assim como Juan Cuadrado, que chegou e pouco produziu.

É importante que Filipe tenha, pelo menos, mais um ano com a camisa dos blues para mostrar a que veio. Uma vez que é titular da Seleção Brasileira, sua qualidade é indiscutível e José Mourinho deve dar mais oportunidades para ele.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: