Afinal, qual é o time ideal para o Chelsea?

Não há dúvida que o 3-4-3 de Antonio Conte é difícil de ser batido. Contudo, a superioridade do Chelsea frente a qualquer adversário desde a mudança tática vem surpreendendo até o torcedor mais otimista. Com seis vitórias consecutivas na Premier League, o ambiente em Stamford Bridge é para lá de excelente.

O italiano parece ter encontrado um grupo de jogadores de confiança. Nomes que pareciam ter sido descartados previamente – como Nemanja Matić, Victor Moses e Pedro – hoje em dia são fundamentais. Na base do que tenho visto nesta temporada e a qualidade do banco de reservas, eu escolhi minha equipe titular ideal.

Esta vem sendo a receita do sucesso de Antonio Conte (Foto: Alamy)

Defesa

David Luiz, Gary Cahill e Cesar Azpilicueta formão uma solida defesa, que não leva gols há seis jogos. Apesar de ser alvo de duras críticas, o brasileiro tem sido sensacional e insubstituível. Azpilicueta parece ter se adaptado perfeitamente a seu novo papel. Entretanto, Cahill é minha principal preocupação. O inglês cometeu erros defensivos críticos no começo da temporada, como no jogo contra Swansea City, e não tem a velocidade que Conte demanda de um defensor.

Na reserva, temos John Terry, Branislav Ivanovic e Kurt Zouma. Nosso eterno capitão ainda tem muito a oferecer, mas como coadjuvante. Ivanovic tem jogado com pouca frequência e sua saída parece ser iminente. Com o interesse de Crystal Palace e Milan, a diretoria está disposta a venda do internacional sérvio na reabertura do mercado de transferências em janeiro.

Após de ficar meses afastado dos gramados com uma grave lesão no joelho, Zouma está perto de garantir seu retorno. Em fevereiro, ele mostrou ter muito potencial e uma questão de tempo para ele se estabelecer como titular.

“Quando se está em um grande clube como o Chelsea, sempre há muita competição pela titularidade. Eu estava satisfeito comigo mesmo e tive um bom desempenho. Agora, tenho que estar pronto para a próxima temporada. Estou muito feliz no Chelsea, quero mostrar a todos que voltarei ainda mais forte após a lesão,” disse o francês.

Meio-campo

Marcos Alonso e Victor Moses parecem ter sido feitos para jogar como alas. Também não consigo imaginar o meio-campo sem a dupla N’Golo Kante e Nemanja Matic. Eles trabalham bem juntos e anulam a criação do adversário.

A grande questão é a seguinte: o que fazer com Cesc Fàbregas? O espanhol tem o maior salário da equipe (R$ 859 mil semanais), mas não tem tido tantas oportunidades como titular. Após sua performance na derrota contra o Arsenal por 3 a 0, ele não deve receber outras chances como titular tão cedo. Sendo assim, eu acho a saída do jogador positiva para aliviar a folha salarial e garantir a contração de outro meio-campista.

Ataque

Diego Costa e Eden Hazard são peças inamovíveis no ataque. Apesar de ser alvo de muita especulação, Costa é o artilheiro da Premier League com 10 gols. Aos 25 anos, Hazard parece ser o herdeiro natural de Cristiano Ronaldo e Messi. Embora Pedro tem sido muito útil quando necessário, William deve voltar a titularidade. O brasileiro demorou uma temporada inteira para se adaptar, mas transformou o lado direito do ataque quando fez. Com José Mourinho e Guus Hiddink, ele for titular marcando 21 gols e dando passe para outros 22.

Para Oscar, o problema é muito mais sério. O brasileiro era considerado titular absoluto, mas desde a temporada passada seu desempenho vem caindo. Nesta temporada, ele foi titular em cinco dos dez jogos do time, mas só não foi substituído uma vez. Além disso, Oscar joga no centro organizando as jogadas da equipe e o 3-4-3 de Conte não tem essa posição. Embora Michy Batshuayi tenha anotado apenas uma vez nas suas últimas oito aparições na Premier League, ele não deixa de ser uma alternativa interessante.

As palavras no texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: