Drogba marca em Old Trafford, em 2014/2015

A minha primeira análise: O que eu quero esperar de Chelsea x Manchester United

Caros leitores, quando fui convidado para voltar ao Chelsea Brasil, não duvidei nem por um momento acerca da resposta que ia dar: um óbvio sim.

E um óbvio sim, porque o Chelsea Brasil tem inovado nos últimos tempos, tem-se diversificado, tem-se atualizado, tem, enfim, melhorado, e sinto que, apesar de ter de escrever a partir de Portugal (sou do país do “nosso” special one) estou ansioso não só por partilhar convosco o que acho, mas também por ouvir as vossas opiniões (sejam de leitores brasileiros ou não), nesta coluna semanal que estará no site todas as sextas-feiras, sem exceção.

E o primeiro tema que queria abordar é o grande encontro que se nos espera no domingo, com o Chelsea a receber o Manchester United, em Londres, na esperança de conquistar a sua terceira vitória seguida e subir ainda mais na tabela da liga inglesa.

Agora, caros leitores, recordemos por uns momentos os jogos entre o Chelsea e o Manchester United entre os anos de 2005 e 2009: naqueles relvados de 105 por 68, estavam, provavelmente, os melhores jogadores do mundo a enfrentarem-se: Drogba, Cech, Lampard, Cole, Terry, oponham-se a Vidic, Ferdinand, um Rooney diferente, Tévez, e, claro, Ronaldo. Eram muitas vezes jogos decisivos para o desfecho do título, eram jogos de enorme qualidade mas, ao mesmo tempo, eram jogos onde a emoção e a importância do encontro não ultrapassava o rigor tático requerido. Tínhamos aqueles nervos antes do jogo, pois sabíamos que uma derrota podia implicar uma subida moral e de vitórias para o United, mas sabíamos que uma vitória podia igualmente lançar-nos para o título.

Quão diferente de hoje! Nos últimos anos (desde a saída de Ronaldo, de lendas do Chelsea e de Sir Alex) os encontros entre o Chelsea e o Manchester United perderam a importância que tinham, de facto, não há uma época em que os red devils e os blues lutem entre si pela coroa desde 2010/2011.

Mas isso pode mudar bem este ano: o Chelsea, está diferente, revigorado, mais enérgico, desafiador até, e, com o novo sistema de três zagueiros, acredito (chamar-me-ão alguns de louco, é verdade, mas não posso esconder esta minha convicção) que poderá lutar pelo título. Já o United, tem Mourinho no leme e como se tal não bastasse para ser um forte candidato tem estrelas: Ibrahimovich, Rashford, Pogba (mesmo não rendendo o que se esperava), De Gea (um dos melhores do mundo na sua posição), e Bailly, importantíssimo na defesa forte que Mourinho quer implementar.

Com tudo isto, podemos ficar de novo com um nervosinho miudinho antes do Chelsea contra o United: serão jogos decisivos e importantes de novo, a começar pelo de Domingo.

As palavras no texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Compartilhe

Comments

Category: Colunistas

Tags: