Chelsea pode ser o próximo Jardim do Eden

Leonardo Jardim é o favorito para assumir o banco de reservas do Chelsea. Essa afirmação foi feita pelo jornal catalão Sport, que monitora a situação de Jardim e Luis Enrique. Dois técnicos que são ligados ao clube londrino para a próxima temporada. Além disso, o periódico da Catalunha relata que Abramovich não chegou ao sonhado acordo com o espanhol e, por isso, o treinador do Mônaco está mais próximo de Stamford Bridge.

O ponto positivo da negociação se trata da facilidade das tratativas entre Roman Abramovich e Dmitri Rybolóvlev. O jornal garante que os dois já estão em contato e as negociações estão em andamento. Por outro lado, Jardim tem contrato com o Mônaco até o ano de 2020 e esse impasse financeiro e contratual deve ser uma pedra no sapato de Abramovich e de Marina Granoskaia, braço direito do mandatário russo.

Assim, a história parece que vai se repetir. Mais uma demissão e novo pagamento de cláusula contratual para um treinador “moderno”, promissor, de sucesso recente… tão recente quanto a duração dos treinadores na equipe da Fulham Road. Isto é: a mesma empresa e antigos negócios.

Segundo toque

Mudando de assunto, o jovem Mason Mount foi convidado para se juntar aos treinamentos do elenco da Seleção Inglesa de Futebol.

Inicialmente, o projeto consiste na participação de Mount nos treinos, uma semana antes da equipe comandada por Gareth Southgate viajar para a Rússia. Na última temporada, o meia-atacante atuou pelo Vitesse Arnhem e foi protagonista com 14 gols e 11 assistências em 32 partidas. Ou seja, números muito positivos.

Entretanto, o seu retorno ao Chelsea não está confirmado. Embora o Daily Mail afirme que o Chelsea fará a decisão em um futuro próximo, assim como a equipe holandesa demonstrou o seu interesse em continuar com a prestação de serviços do atleta. Se de um lado, o Chelsea não sabe se ficará com Mason, por outro lado, Southgate não hesitou em conferir de perto o talento do futebolista de 19 anos.

Mesmo com a pouca idade, ele já vestiu a camisa da seleção inglesa sub-16, sub-17, sub-18 e sub-19. Como profissional, Mason ainda não atuou com a camisa do Chelsea. Lembrando que ele está na equipe londrina desde 2005.

Terceiro toque

Concluindo a coluna de hoje com um novo assunto, a Hyundai será a nova patrocinadora “de mangas” do Chelsea. Pelo o que foi publicado, o valor seria recorde nesse tipo de patrocínio e, caso seja confirmada a negociação, o Chelsea receberia 50 milhões de Libras da empresa sul-coreana em cinco anos. Além de 200 milhões no mesmo período de mesmos cinco anos da Yokohama. Portanto, 50 milhões de Libras por ano em patrocínios. Nada mal, não é mesmo?

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.