Be a Brighton

Be a Ba significa primeiros rudimentos, primeiras lições e aprendizados, esmiuçar pedaço por pedaço de um tópico. Depois de semanas turbulentas, o Chelsea voltou a fazer o seu dever de forma exemplar, vencendo o Brighton and Hove Albion com requintes de crueldade no Amex Stadium.

Eu concordarei se alguém disser “mas é apenas o Brighton, um time recém promovido para a elite do futebol inglês”. Porém, o excesso de empates nos últimos jogos estava, no mínimo, incomodando os torcedores do time de Stamford Bridge. Empatou com o Norwich, empatou com o Arsenal na Copa da Liga Inglesa, empatou com o Leicester e empatou com Norwich novamente. Principalmente por isso, exaltamos esse resultado elástico e fora dos domínios londrinos.

O time foi consistente nesta rodada. 4 a 0, bola na trave do Willian, equipe incisiva na maior parte do tempo e se defendendo bem – bom, pelo menos não comprometeu em nenhuma ocasião, não é? Se o Chelsea tropeçasse hoje, seria o terceiro jogo, fora de casa, sem vitória feito inédito sob o comando de Antonio Conte.

A vitória, além de reestabelecer os três pontos, é de suma importância, pois acontece na véspera de outra decisão para os Blues. A equipe da Fulham Road atuará no dia 24 de janeiro – também conhecido como meu aniversário – contra o Arsenal, pelo jogo de volta da Copa da Liga Inglesa.

Apresentar confiança e ser dono do jogo. Estes feitos estavam faltando ao Chelsea e, neste sábado, o time conseguiu. Vamos esperar os próximos embates da equipe, mas hoje não há reclamações. O Be a Ba feito com qualidade e os primeiros passos fora da irregularidade apresentada nas rodadas anteriores.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.