Batshuayi é a melhor opção para o lugar de Morata?

No início da temporada, Álvaro Morata começou impressionando a torcida com a boa série de gols, e tornou-se a peça chave do ataque. Esse papel importante no time confundiu-se com uma dependência, e quando o jogador se machucou, ficamos sem ninguém decisivo. Em tese, teríamos Michy Batshuayi como reserva justamente para esses momentos, mas Antonio Conte parece não confiar muito nele. O italiano teria motivos para isso?

A primeira questão é que, no momento atual, Conte precisa colocá-lo pra jogar. Temos várias opções de meio-campo boas: Hazard, Kanté, Willian, Pedro… Mas a lista de peças com histórico de lesão nos últimos meses não está pequena. O garoto tem qualidade, e é o único atacante além de Morata. Suas melhores partidas foram quando entrou como reserva, o que já o diferencia do atacante principal, mas ele fez vários gols importantes – como o que selou a vitória da Premier League, contra o West Brom.

Mas vamos ao números. A necessidade de colocar Batshuayi era menor na temporada passada, tanto que a diferença de minutos jogados por ele entre 2016 e 2017 é de apenas 100 – antes ele entrou em 20 jogos, totalizando 299 minutos; atualmente, foram 199 minutos em apenas sete jogos.

Se comparado a outros jogadores do ataque na Premier League, Batshuayi só fica atrás de Charly Musonda na questão tempo de jogo. Até Fabregas, que só entrou em quatro jogos, tem quase o dobro de minutos em campo. Nas entrelinhas, isso quer dizer que Conte não aposta no garoto ficar uma partida inteira, mas por ter entrado em sete dos doze jogos, em alguns momentos ele é interessante pro plano.

O grande problema é um só: Batshuayi não ser decisivo. O meio-campo não pode confiar em trabalhar a bola e só chutar nele, esperando um gol. Ele falha no posicionamento, ou seja, claramente a questão é tática. Para ser um substituto à altura, a inteligência precisa ser trabalhada, e Conte sabe disso. O belga já comentou que o treinador elogiou seu comprometimento e busca trabalhar melhor taticamente com ele. Isso significa que o jogador pode não estar completo ainda, mas Conte não desistiu dele como fez com Diego Costa. E há lógica nessa postura.

A conclusão é: temos um jogador com habilidade, que custou 33 milhões de libras, e sabe jogar futebol. Só não consegue ser a cara de um time. Falta tempo para isso.

As palavras neste texto condizem com a opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil.

Category: Opinião

Tags:

Article by: Asnate Souza

Estudante de Relações Internacionais na USP, e atleta universitária de futsal e futebol americano. Na horas livres, estou assistindo jogos.