Ampadu impressiona, e não é pelo penteado

Quem assistiu os jogos da última rodada da Champions League não pôde deixar de notar duas coisas: que o RB Leipzig venceu o Tottenham de José Mourinho fora de casa e que Ethan Ampadu já não envergava mais o seu cabelo com dreadlocks tão característico. Mas, cabelos à parte, o aspecto mais interessante dessa partida tenha sido o desempenho praticamente perfeito para sua posição.

O galês de apenas 19 anos, emprestado pelo Chelsea ao clube alemão pela temporada, impressionou os críticos e deixou os torcedores com a pulga atrás da orelha: Teria lugar no time atual?

Os números de Ampadu em relação aos outros jogadores impressiona. (Foto: Reprodução Twitter Squawka)

Carreira breve, mas bem avaliada

Já figurinha carimbada nas convocações do seu país e atuando ao lado de jogadores como Gareth Bale e Aaron Ramsey, Ampadu já não é novidade para quem acompanha a sua breve carreira. Nas suas 12 aparições pelo time principal do Chelsea o torcedor (e os adversários) puderam notar a qualidade demonstrada em cada jogada carimbada pelo jovem, seja na volância ou na zaga.

Porém, a grande questão é se o ex-cabeludo teria cacife para entrar no time titular e agarrar a vaga no projeto de renovação de Frank Lampard. Se tudo depender dele, sim. Após o desempenho contra o Tottenham, Ampadu disse que “Gostaria de voltar [a jogar pelo Chelsea], é o meu objetivo, mas estou focado no Leipzig. Eu sempre assisto o Chelsea e vejo o que está acontecendo”.

Solução dos problemas defensivos

Não é novidade para ninguém que o sistema defensivo do Chelsea, outrora tão eficiente, esteja devendo na atual temporada. Já são 39 gols sofridos só na Premier League, o que se traduz em uma média superior a um gol por jogo. Os culpados elegidos pela torcida variam, ora o goleiro Kepa Arrizabalaga, ora os zagueiros individualmente e ora a defesa como um todo.

Pode-se afirmar que as turbulências experimentadas pelo lado azul de Londres se devem ao fator renovação do elenco. De fato os aspectos principais deste ano são a presença de jogadores da base e de um técnico jovem para comandá-los. Porém, há quem enxergue na própria juventude a solução para os problemas defensivos, no nome de Ampadu.

O galês chegou ao Chelsea em 2017 com status de joia. (Foto: Getty)

O mais cético dos adeptos poderia dizer que os torcedores estão “emocionados” demais devido à falta de confiança nas peças do elenco atual. Contudo, não é somente a qualidade individual de Ampadu que poderia trazer de volta a segurança há tempos perdida pela zaga azul.

Duas das principais qualidades do galês são o tempo de bola e o ótimo senso de posicionamento dentro de campo, que fazem com que um zagueiro nada corpulento de apenas 1,82 possa ganhar tantos duelos, inclusive aéreos, e fazer tantas interceptações. Essas qualidades encaixam perfeitamente com a falta de coesão defensiva do Chelsea, que tem dificuldades em criar conexões entre os atletas e entre as regiões do campo.

Além disso, seu passe longo qualificado poderia dar mais opções de saída de bola para o time, que sofre com marcações mais altas principalmente em cima de Jorginho, o primeiro armador. Inclusive, Ampadu pode ocupar áreas mais avançadas do campo confortavelmente, mesmo jogando de zagueiro central em um esquema com dois ou três atrás.

Ampadu liderou as estatísticas com cinco interceptações no jogo. (Foto: PA)

O que fazer?

O ponto definidor do futuro do jovem em Londres pode ser a própria permanência de Lampard, questionada por alguns. O treinador, em mais de uma ocasião, exaltou Ampadu e ainda confessou em entrevista ter tentado leva-lo por empréstimo ao Derby County na última temporada da Premiership. Já nas graças do ídolo Blue, o caminho para o zagueiro parece cada vez mais pavimentado para uma volta triunfal e a consequente evolução dentro do time principal.

O único senão, talvez seja a própria política de empréstimos do Chelsea. Jogadores da base que conseguiram minutos regularmente na atual temporada como Tammy Abraham, Mason Mount e até Fikayo Tomori, todos foram testados em alguma divisão inferior do campeonato inglês antes de se aventurarem no time principal, justamente para conseguirem mais minutos durante a época.

Ampadu pode ser aquele a quebrar o padrão e voltar na próxima janela para a sua casa e então formar uma bela dupla de zaga com o próprio Tomori em um futuro não tão distante. Só é preciso paciência e cautela, coisa pela qual o fã dos azuis de Londres não é conhecido.

Lucas Jensen