A voz da experiência

Muito se falou no noticiário britânico que Andreas Christensen pediu conselhos a John Terry sobre a performance na defesa. O próprio dinamarquês admitiu que fez muitas partidas ruins nos últimos jogos, e disse que buscou Terry para tentar entender como corrigi-las.

Por mais interessante que o fato seja, ele não me soa comum. Mas deveria. Christensen tem apenas 21 anos e já é uma das grandes referências na defesa do Chelsea. Em um elenco com Cahill em eterna má fase; Rüdiger não passando confiança e David Luiz sem jogar, grande parte da responsabilidade cai sobre os ombros do garoto. No lugar dele, a quem mais pedir ajuda?

Christensen pode seguir o caminho de Terry na zaga do Chelsea?

Christensen se mostrou humilde o suficiente para reconhecer seus erros, e esperto o suficiente para procurar o melhor conselho possível. Terry estreou pelos Blues antes mesmo de completar 18 anos, e pouco a pouco cavou seu lugar até se tornar o que é hoje. E vejam bem, lá vai o jovem Christensen, tentando seguir o mesmo caminho.

Quem somos nós para comparar qualquer defensor a John Terry. O simples ponto é que atitudes como essa me deixaram intrigado. Como num retorno às origens, Christensen fez o que quase ninguém faz, e aos poucos retoma a confiança que o levou à titularidade do atual campeão inglês. Fiquei feliz ao ver isso, acho que vale alguma reflexão. Pensem nisso.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

Lucas Sanches

Eterno projeto de jornalista. Apaixonado por futebol e viúvo do Fernando Torres. Hazard é o melhor jogador do mundo. Twitter: sanches_07