Em 2019, a Copa da Liga Inglesa vale muito ao Chelsea

Vamos para mais um capítulo do Chelsea Football Club nesta temporada. Desta vez, nós acompanharemos a final da Copa da Liga Inglesa entre Manchester City e Chelsea. Será que vamos observar o Chelsea que venceu os Citizens, no dia 8 de dezembro, por 2 a 0? Ou o selecionado que perdeu para o City, no dia 10 de fevereiro, por 6 a 0? De toda forma, uma final – um momento positivo – para o time de Maurizio Sarri que vive altos e baixos nos compromissos desta temporada.

Costumeiramente, abro as páginas dos portais ingleses para ver as notícias e novidades do clube. No sábado (23/02), a primeira manchete do Daily Mail diz respeito ao fato de Sarri ter vencido mais no Chelsea do que Guardiola na primeira temporada com o City. Mesmo assim, o italiano vive incertezas no comando técnico do time de Stamford Bridge. Tanto que a segunda manchete aborda a possibilidade de Zinedine Zidane e as supostas tratativas para o francês assumir o cargo de Sarri.

Reflexão 1

Por isso, se faz necessária a reflexão. Chelsea e Sarri deve seguir o exemplo de time azul de Manchester ou a política de técnico sazonal segue nas imediações da Fulham Road? Eu não sei sobre o pensamento de vocês, mas o fato de ter uma temporada oscilante – e ser a primeira temporada – não é, necessariamente, motivo de demissão imediata.

Exemplificando com o modelo a ser seguido. Os Citizens deram tempo, dinheiro e planejamento (tempo de trabalho) ao Guardiola. Hoje em dia, o espanhol colhe os frutos de um planejamento apropriado. Essa opção de comando não seria a melhor ideia para o Chelsea? Ou seja, observar por um viés de confiança ao treinador que chegou na temporada atual.

Reflexão 2

Por outro lado, eu entendo a decepção do torcedor em alguns aspectos. Ao mesmo tempo que Sarri busca a implementação de um novo modelo de jogo, parece que as substituições e o esquema tático atual são previsíveis. A mudança Ross Barkley/Mateo Kovacic no minuto 70 deve ter acontecido tantas vezes quanto as vitórias do Chelsea na temporada. Em alguns momentos, esse cenário soa como teimosia aos torcedores. Recentemente, “F–k Sarriball” foi entoado – em alto e bom som – pelos torcedores do Chelsea contra o Manchester United. Além disso, Jorginho – pilar indissociável do Sarriball – foi vaiado pelos fãs.

É um panorama conflituoso pra os torcedores. Esse cenário de incerteza coexiste com a temporada que o Chelsea está na final de torneio doméstico e em andamento na Europa League. Ou seja, oscilando, mas com a possibilidade de ganhar um título e com chances de vencer um torneio continental. O lugar do Chelsea é na Europa League? Não. E na sexta colocação do Campeonato Inglês? Pelo investimento, também não. Mas a reflexão que deve ser feita recai sobre confiança no processo. Afinal de contas, ainda há tempo para a primeira temporada de Sarri ser melhor em números do que o exemplo a ser seguido – Pep Guardiola.

Concluindo.

Ou seja, devemos fazer algumas reflexões. O Chelsea deve dar tempo de trabalho ou romper imediatamente com Maurizio Sarri? Perder a final da Copa da Liga influenciará nesta decisão de mudança de comando? Quando o Chelsea vai conseguir dar sequência de trabalho ao seu treinador? Reflitamos.

As palavras contidas nessa reportagem condizem à opinião do autor, não tendo qualquer relação com o Chelsea Brasil

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.