O futuro incerto de Sarri no Chelsea

Maurizio Sarri não vem enfrentando bons momentos desde que entrou como técnico do Chelsea em julho de 2018. Tendo vindo do Napoli, substituindo Antonio Conte logo no dia seguinte à demissão deste, Sarri já começou com o pé esquerdo, com uma derrota de 2 a 0 para o Manchester City – a derrota foi a perda do Community Shield. Seria esse início ilustrativo de todo o seu destino junto ao Chelsea?

Incertezas dentro de um time já incerto

O Chelsea é já um time famoso pela sua alta rotatividade de técnicos, muito acima do normal. A demissão logo cedo de técnicos que não demonstram resultados positivos imediatos é marca registrada do Chelsea. Pode-se dizer o mesmo sobre técnicos que, após boa campanha, apresentem declínio no desempenho.

Há quem diga, inclusive, que não há sequer tempo para os torcedores reclamarem dos técnicos.

Não é um cenário favorável para Sarri. Trazendo consigo uma forma diferente de futebol, com estratégias que saem do convencional, suas falhas acabam tendo um peso redobrado. O próprio Sarri disse não querer enxergar o futebol como algo tão simples quanto reforçar a defesa ou o ataque a depender do que o time esteja passando e de que precise naquele momento.

Sua campanha não andava boa. Isso naturalmente gerou insatisfação e reclamações da torcida, de dirigentes e jogadores, que logo passaram a se rebelar.

O ápice dos problemas

Tudo isso piorou muito com um infeliz clímax – a derrota vergonhosa de 6 a 0 para o Manchester City no dia 10 de fevereiro.

A pressão, já crescente, piorou muito. Toda a mídia começou a discutir (e a pedir) a saída de Sarri. Questionado a respeito do seu futuro no clube, o técnico disse em entrevista coletiva que as pessoas deveriam elas mesmas ligar para os dirigentes do Chelsea e perguntar se ele seria demitido ou não. Afinal, não teria como ele saber.

Perda de controle sobre o time?

Em seguida, no dia 24 de fevereiro, na final da Copa Carabao, em jogo contra o Manchester City novamente, um episódio ocorrido aos olhos de todos os espectadores deixou a situação ainda mais abalada.

O goleiro Kepa Arrizabalaga, estrela espanhola, se recusou, durante os minutos finais da partida, nos pênaltis, a ser substituído. Sarri, ao ver suas ordens desacatadas, teve um acesso de raiva (que muitos chamaram de birra) e os dois acabaram se confrontando nos bastidores, a ponto de precisarem segurar o técnico para evitar que a briga se tornasse física.

Isso deu a impressão, para todo o mundo, de que o técnico não somente não está conseguindo lidar com o time em termos estratégicos como também em termos de liderança. O que, obviamente, apenas aumenta a pressão e as chances de que Sarri seja, de fato, demitido de seu cargo.

Uma esperança?

Depois de todo o ocorrido, Arrizabalaga acabou sendo multado pelo time, sendo obrigado a pagar uma multa de 220.000 euros. Além disso, no jogo do dia 27 de fevereiro contra o Tottenham, Sarri deixou Kepa Arrizabalaga no banco durante toda a partida.

O jogo contra o arqui-inimigo do Chelsea foi uma boa retomada de fôlego e controle de Sarri. Mas seria o suficiente para dar esperanças de manter seu atual emprego?

O que se espera, apesar disso, é que não seja o suficiente e que a direção do clube não opte por esperar muito mais. A tendência, de acordo com o que é natural e conhecido do time, é dispensá-lo.

Flutuação em apostas?

A situação de incerteza, em época de má campanha, dá ao Chelsea uma flutuação nas apostas. Uma troca de técnicos, aconteça quando acontecer, exige um tempo de adaptação, mudanças, e além disso afeta o psicológico da equipe, com muita pressão sobre o novo técnico.

A permanência de Sarri também não garante uma época tranquila. Vale ver em diferentes sites de apostas, por exemplo o br.netbet.com, como estão as odds para os próximos jogos e como o cenário vai mudar, de acordo com os próximos dias e semanas.

Chelsea Brasil

Somos o Chelsea Brasil, marca oficialmente reconhecida pelo Chelsea no Brasil e especializado em conteúdos e na comunidade de torcedores do Chelsea no Brasil.