Zola comemorando gol (Reprodução)

Alegria e genialidade: a chegada de Gianfranco Zola ao Stamford Bridge completa 20 anos

Há duas décadas, chegava ao Chelsea um dos maiores jogadores de sua história. Gianfranco Zola, atacante italiano que até então atuava no Parma-ITA, foi negociado por 4,5 milhões de libras, e em novembro de 1996, tornou-se dono da camisa 25 dos Blues.

Na Inglaterra, seu talento e sua criatividade maravilharam milhares de torcedores. Zola fazia mágica quando entrava em campo, fato que rendeu-lhe o apelido de “Bruxo” entre os torcedores do Chelsea.

Mas, segundo alguns de seus companheiros, o desempenho de Gianfranco não se limitava apenas a seu talento, mas era o resultado de muito esforço e profissionalismo demonstrados por parte do atacante.

Em celebração aos 20 anos desde a chegada de Zola à Stamford Bridge, o site oficial do clube entrevistou Eddie Newton e Jody Morris, ambos ex-jogadores do meio campo dos Blues, que atuaram ao lado do eterno camisa 25, para falar sobre sua chegada ao clube e suas qualidades, tanto dentro quanto fora de campo.

“Eu me lembro que Ruud Gullit, nosso treinador na época, dizia que precisava de apenas mais uma contratação para nos levar para o próximo nível. Nós não sabíamos de quem ele estava falando, mas obviamente este logo se revelou”, lembra Newton.

Atualmente auxiliar técnico do clube, Eddie retornava de uma fratura na perna quando Zola chegou ao clube. ‘Quando ele chegou, me lembro de como era humilde como homem e quão profissional na forma a que se aplicava nos treinos ele era’. O ex-meia também comentou que a forma como o companheiro se dedicava a cada treinamento inspirava os demais atletas a serem como ele.

Após muitos títulos conquistados juntos, ambos se aposentaram, mas seguiram carreira no esporte. Voltaram a se encontrar profissionalmente alguns anos depois, com Newton como auxiliar técnico dos Blues, e Gianfranco como técnico do Watford.

“Na temporada em que tivemos Nathaniel Chalobah emprestado ao Watford, quando Zola era técnico deles, trabalhamos juntos em seu desenvolvimento, e ele [Zola] não foi diferente do que sempre foi. Ele é muito integro e tem muitas qualidades como homem”, declarou o ex-atleta.

Já Jody Morris, que hoje atua como responsável pela equipe sub-18 do Chelsea, era um jovem integrante do elenco dos Pensioners, com apenas uma partida no currículo,quando viu o atacante chegar ao clube.

O ex-meia relembrou a maestria com que Gianfranco dominava a bola, e como era fácil jogar ao lado de um elenco cheio de habilidade.

“Como um meia, você era tão mimado por ter alguém com a movimentação que tinha Lucas Vialli, você tinha Mark Hughes que podia segurar a bola com tanta habilidade que dava tempo para que os meias chegassem para dar suporte, e tinha o Zola que poderia jogar como um 10, e não importava como você passasse a bola para ele, ele sempre conseguia mantê-la sob controle. Você sempre sentia que se a bola estivesse em sua posse, algo iria acontecer; ele chutaria de longe ou faria um cruzamento”, declarou.

Para Morris, não havia bola que o ídolo dos Blues não pudesse dominar.

“O primeiro toque de Gianfranco era quase como uma garantia. Durante toda a sua carreira no Chelsea, eu posso contar nos dedos de uma mão quantas vezes ele perdeu o controle da bola. Você sabia que, se era possível controlar a bola, ele o faria.

Ele sempre me fez acreditar que você pode sempre se aprimorar, não importa quão velho você seja, e eu acho que sua temporada mais produtiva, em termos de gols, foi a última, completou.

Zola chegou ao Chelsea já aos 30 anos, e permaneceu no clube por sete temporadas como jogador. Em seu último ano no clube, o atacante anotou 16 gols, além de voltar a apresentar a magia pela qual ficou conhecido em campo, e ainda levou o clube a disputar mais uma Liga dos Campeões. Ainda em 2003, foi eleito pelos torcedores o melhor jogador da Inglaterra na temporada.

Enquanto as habilidades de Gianfranco traziam alegria àqueles que tiveram o prazer de vê-lo em campo durante sua passagem pelo Chelsea, Newton tem, mais do que qualquer um, razões para agradecer ao Bruxo.

Ainda em sua primeira temporada vestindo a camisa da equipe londrina, Gianfranco foi um dos responsáveis pelo título da FA Cup de 1997. Foi dos pés do atacante que saiu o passe para que Eddie fizesse o segundo gol sobre a equipe do Middlesbrough, emWembley, levando a conquistarem o título.

A persistência de Zola no lance, que para Newton já estava praticamente perdido, levou o ex-meia a voltar a acreditar, rendendo a ele o gol histórico do título.

“Eu não poderia ter pedido por um companheiro de equipe melhor, todos sabem de sua qualidade dentro de campo, mas também foi um prazer dividir vestiário com o homem que ele é”.

Compartilhe

Comments

Category: Ex-Blues

Tags: