Terceiro Tempo: O que está freando o nosso crescimento?

No último final de semana, o Chelsea não foi capaz de agredir o Newcastle, estava com boa cotação na Betclic Apostas  mas acabou castigado com um gol no último minuto do jogo.

A derrota corrobora para um dado interessante: Nas últimas cinco vezes em que os Blues enfrentaram um oponente da metade de baixo da tabela, foram conquistados apenas quatro dos quinze pontos disputados.

Considerando o crescimento de United e Wolves e a instabilidade de City e Leicester, a situação dos londrinos na Premier League poderia ser mais confortável.

Primeiro Tempo: Opções e estilos no meio-campo

Embora desapegado com esquemas táticos, Lampard parece ter encontrado uma formação efetiva para enfrentar times compactos e reativos.

Contra o Burnley, o técnico não contou com Kanté, lesionado, e optou por deixar Kovacic no banco. Dessa forma, a trinca de meio-campistas foi composta por Jorginho-Barkley-Mount.

Essa variação jamais havia sido testada, e antes mesmo da partida, a torcida elogiou Lampard pela ideia. No final das contas, o camisa 8 jogou ao lado do ítalo-brasileiro, porém teve liberdade para infiltrar e foi efetivo, assim como o restante do time, que marcou três gols e segurou o clean sheet.

Não só isso, Reece James e Hudson-Odoi dominaram pela direita, e ao que parece, esses jogadores estão se entendendo cada vez mais.

Reece James e Hudson-Odoi mostraram bom futebol nos últimos jogos (Reprodução: Twitter Chelsea FC)

Contudo, contra o Newcastle, equipe que oferece a bola para o adversário da mesma maneira que o Burnley, Lamps optou por usar Kanté no lugar de Barkley.

O camisa 7 até fez um bom primeiro tempo, mas assim como o restante da equipe, pouco contribuiu na criação de chances reais.

Assim, Kanté teve mais uma atuação abaixo do seu nível e das expectativas dos torcedores, que sempre esperam atuações brilhantes do francês. Dessa forma, a função dele no time vêm sendo cada vez mais questionada.

Os que defendem que ele seja opção no banco não só estão se apoiando no que estão vendo, como também nos números. No Campeonato Inglês, o Chelsea ganhou apenas 33,3% dos jogos com Kanté em campo. Quando ele não joga, o aproveitamento sobe para 87,5%. Em todas as competições a diferença diminuí, mas segue grande: 36.8% com e 71.4% sem ele.

O francês perdeu o status de “intocável” nessa temporada (Reprodução: The Independent)

Entretanto, é importante fazer duas ressalvas. Sob o comando de Maurizio Sarri, Kanté tinha funções ofensivas, porém diferentes das propostas por Lampard. Com Sarri, Kanté era um box-to-box que pressionava a defesa adversária, recuperava a posse no ataque e distribuía a bola rapidamente para outros jogadores. Lamps no entanto exige que o camisa 7 participe de triangulações pelo lado direito, visando abrir espaços no campo dos oponentes.

Além disso, o francês não realizou a pré-temporada completa e sofreu com diferentes lesões nesta temporada, atrapalhando o processo para aperfeiçoar essa nova função.

Também, é importante pontuar a queda de rendimento de Jorginho e Mount, como também a falta de opções no banco, já que Barkley é muito inconstante e Billy Gilmour muito jovem para assumir tal responsabilidade.

Quem poderia destoar nesse momento de contestações seria Ruben Loftus-Cheek. O atleta possuí as características necessárias para atuar no sistema do técnico e mostrou seu talento na temporada passada.

Resta ao torcedor aguardar a recuperação do atleta, que pode retornar a treinar com os titulares em março, tornando-se opção para o final da temporada.

Segundo Tempo: De quem é a culpa?

O gol tardio do Newcastle reacendeu outro debate entre torcedores do clube: Kepa merece um voto de confiança ou contratar outro goleiro nesta janela poderia resolver o problema defensivo?

Para isso, é necessário entender que as críticas em relação ao espanhol são potencializadas devido ao seu preço. Kepa foi o goleiro mais caro da história. De tal forma, espera-se que ele atue como o melhor goleiro da atualidade.

Porém, após a partida, foi feito um levantamento com os goleiros da Premier League. Nele, constatou-se que Kepa tem a menor porcentagem de defesas entre todos da posição, com apenas 55% dos chutes sendo defendidos por ele.

Além disso, é um dos goleiros com menor número de defesas. Isso significa que ele é pouco exigido, e quando acionado, a taxa de defesas é baixa.

Kepa é o vilão da vez pelas falhas recentes (Reprodução: B/R Football)

Todavia, ele possuí 25 anos e ainda pode melhorar alguns aspectos de seu jogo, como a tomada de decisões. Não só isso, teve momentos de puro heroísmo na temporada. A defesa no último minuto contra o Aston Villa e o pênalti defendido contra o Valência ilustram alguns momentos em que ele salvou o time.

É um jogador de personalidade forte e jovem, que precisa transmitir mais segurança para a equipe. Porém, ele não é o único vilão.

Não é de hoje que o sistema defensivo da equipe sofre. Desde o primeiro jogo da temporada, contra o United, a defesa é muito contestada, seja por erros individuais ou coletivos.

Com a volta de Rudiger e Azpilicueta jogando na esquerda, as críticas diminuíram. Mas mesmo com essas mudanças, o Chelsea ainda sofre para defender bolas aéreas. Todo escanteio ou falta perto da área, com um batedor qualificado , representam uma ameaça para os londrinos.

O volta do alemão ajudou em alguns problemas defensivos (Foto: Getty Images)

Dito isso, é preciso entender que houve uma melhora, mas Lampard ainda precisa ajeitar o posicionamento dos atletas nessas situações. Com mais semanas para treinamentos, é esperado que esse problema seja atenuado.

Prorrogação: Calendário e Mercado

Nos próximos quatro jogos em Stamford Brigde, o Chelsea recebe o Arsenal, Manchester United, Tottenham e Bayern de Munique. O retrospecto em casa na atual temporada não é dos melhores. Por isso, para não passar sufoco nas últimas rodadas, a postura do time precisa mudar.

No entanto, nos dois últimos confrontos contra adversários do Big Six, os Blues tiveram excelentes atuações. A primeira foi uma dominação de ponta a ponta contra os Spurs de Mourinho. Já a segunda foi um ato de superação física e mental dos atletas para vencer o Arsenal de Arteta. A vantagem é que todas as equipes na qual iremos enfrentar nos próximos jogos estão instáveis.

Desses confrontos, o embate contra os alemães pode ser traiçoeiro. Lewandowski é um dos centroavantes mais letais dentro da área, e vai enfrentar um goleiro que não vive boa fase. Além disso, o Bayern descansou por um mês devido a pausa para o inverno. Dessa maneira, os atletas do clube bávaro devem chegar para as oitavas de final fisicamente melhores.

Com 8 gols na Champions, Lewandowski é o artilheiro da competição (Reprodução: Robert Lewandowski-Twitter)

Por mais que não seja esperado que o Chelsea chegue longe na Champions League, uma eliminação na competição europeia pode abalar o psicológico dos jogadores para o restante da temporada.

A chegada de algum reforço poderia ajudar nesse semestre, dada a falta de opções no banco de reservas. Mas pelas recentes entrevistas de Frank Lampard, o Chelsea apenas contratará se surgir uma oportunidade no mercado em que seja muito difícil não trazer o jogador. Sancho e Moussa Dembélé não devem sair nesta janela, assim como Timo Werner.

Rafael Marson

Jornalista em formação pela Faculdade Cásper Líbero. Sem o futebol, não há motivos para viver. Fã incondicional de Drogba e Hazard. #GoBlues