Lupa Tática: A solidez defensiva ataca novamente

Edouard Mendy e sistema defensivo do Chelsea são destacados em empate sem gols contra Manchester United

Chelsea e Manchester United, jogo realizado neste sábado (24), foi mais um duelo da Premier League para exaltar o sistema defensivo. Primeiramente, a equipe londrina somou o segundo jogo sem sofrer gols no calendário. Um desempenho que comprova a frase mais ligada ao Chelsea nos 180 minutos aproximados de futebol: “a solidez defensiva”. A equipe londrina ficou no 0 a 0 com o Manchester United e o setor defensivo foi destacado em novo duelo da temporada 2020/21. O Lupa Tática inicia agora.

Primeiramente, vamos falar sobre o embate. O SofaScore apontou a marca de 50% de posse de bola para cada equipe no jogo. Além disso, o portal afirmou que o Manchester United foi superior em todos os índices em comparação ao Chelsea.

Manchester United e Chelsea (segundo o SofaScore)

SofaScore avalia Mendy como melhor em campo. Além disso, os zagueiros foram destacados.

SofaScore avalia Mendy como melhor em campo. Além disso, os zagueiros foram destacados. (SofaScore / Website)

Finalizações: 14 x 6
Finalizações ao gol: 4 a 1
Finalizações para fora: 5 x 2
Chutes travados: 5 x 3

Situações de Jogo

Escanteios: 9 x 6
Impedimentos 2 x 0
Faltas: 8 x 6
Cartões amarelos 3 x 1

Finalizações de dentro da área: 7 a 4
Finalizações de fora da área: 7 x 2
Defesas do goleiro: 1 x 4

Detalhes do embate

A primeira parcial também apontou números favoráveis ao Manchester United. Entretanto, a equipe londrina teve mais posse de bola nos primeiros 20 minutos de duelo. Por isso, a primeira boa trama ofensiva do embate foi do time de Stamford Bridge. Kai Havertz tentou acionar Timo Werner, que estava dentro da área, em passe pelo miolo defensivo do United. Sem sucesso. Posteriormente, Pulisic finalizou duas vezes em dois minutos consecutivos no primeiro tempo. O atleta dos Estados Unidos conduziu a bola para dentro da área rival e finalizou nas mãos de De Gea. Logo após, ele finalizou de fora da área e a bola foi direto pela linha de fundo.

Edouard Mendy: o nome do jogo

https://twitter.com/ChelseaFC/status/1320107799305596930

Ainda no primeiro tempo, Edouard Mendy defendeu as duas chances mais evidentes do jogo. Marcus Rashford recebeu passe em profundidade e finalizou para o gol; Mendy fez a defesa com o pé, em lance do minuto 34. Seis minutos depois, novamente de fora da área, Mata finalizou e Mendy espalmou para a linha de fundo. Além disso, no segundo tempo, o confronto entre Rashford e Mendy voltaria ao protagonismo no jogo. O goleiro senegalense fez defesa salvadora na reta final do embate e concedeu números finais ao compromisso. Desta forma, Edouard Mendy teve a melhor avaliação da partida sediada em Old Trafford: 7.9, segundo o SofaScore.

Consequentemente, Edouard Mendy é o primeiro goleiro do Chelsea, desde Petr Cech, que computou dois clean sheets nos dois primeiros jogos como titular na Premier League. Além disso, o goleiro do Chelsea deu 16 passes durante o jogo. Ou seja, três passes a mais do que Timo Werner em 70 minutos de atuação.

“O desempenho [de Edouard Mendy] foi muito bom. Ele mostrou o porquê de estar aqui e para isso que trouxemos ele. Estou muito feliz com susas defesas nesta noite”, disse Frank Lampard, técnico do Chelsea.

A defesa do Chelsea

O maior pontuador do Manchester United foi Bruno Fernandes, destaque do Fique de Olho do Chelsea Brasil, com 7.6. A avaliação do lusitano diz muito sobre a partida sólida que fez o sistema defensivo do Chelsea. Afinal, Thiago Silva recebeu nota 7.7, Kurt Zouma foi avaliado em 7.6 e Ben Chilwell com 7.5.

O Squawka, outro portal esportivo de notícias e avaliações, discorreu sobre a partida do Thiago Silva, diante do Manchester United. Foram 95 toques na bola, 94% de aproveitamento nos passes, três recuperações, duas interceptações e dois bloqueios. Além disso, o defensor brasileiro não foi ultrapassado em tentativas de dribles e não cometeu nenhuma falta no jogo. A calma e a experiência de Thiago Silva prevaleceram no embate contra o United. Muito diferente do enredo vivido pelo zagueiro diante do West Bromwich, no The Hawthorns (3-3).

Kurt Zouma merece menção honrosa

Sem cometer faltas no jogo, Kurt Zouma cortou seis passes do Manchester United em Old Trafford. Além de um chute travado, ele desarmou em uma oportunidade do time rival e não foi driblado no jogo. Por fim, Zouma ganhou um duelo terrestre e venceu três dos cinco duelos aéreos. Em conclusão, o zagueiro teve 93,7% de aproveitamento nos passes.

O sistema ofensivo

Primeira etapa com desempenho abaixo do esperado das equipes. Assim sendo, Pulisic tentava se desvencilhar da marcação

Pulisic tenta se desvencilhar da marcação. Peças ofensivas não tiveram vida fácil no Old Trafford. (Chelsea FC / Twitter)

Ainda sobre avaliações, os atletas do setor ofensivo tiveram notas abaixo de sete no jogo. Timo Werner (6.4), Pulisic (6.9) e Kai Havertz (6.6) não foram participativos no viés ofensivo. SofaScore aponta que Timo Werner perdeu todos os duelos no embate – dois terrestres e um duelo aéreo. Além disso, ele perdeu a posse de bola em oito oportunidades e teve 68,4% de aproveitamento nos passes.

Da mesma forma, Kai Havertz foi bem discreto no embate contra os Red Devils. O jovem atleta perdeu a posse da bola em 12 oportunidade, teve 74,2% dos passes certos e perdeu oito dos 11 duelos contra os adversários. Além disso, Havertz cometeu mais faltas do que sofreu – duas faltas feitas e uma falta sofrida. Por fim, ele recebeu cartão amarelo no jogo. Certamente, não foi o dia da dupla alemã.

Timo Werner teve uma finalização bloqueada. Enquanto Havertz não chutou ao gol. Entretanto, Pulisic finalizou três vezes na partida. Uma chance foi ao gol, outra tentativa para fora e um chute bloqueado pelo adversário. Por outro lado, Christian Pulisic teve o pior aproveitamento de passes comparando com Timo Werner e Kai Havertz: 59,1% de aproveitamento.

Números, dados e estatísticas para endossar que não foi um dia ofensivo. Longe disso, foi um embate para destacar defensores…

Ben Chilwell

… A maior prova desse fato é Ben Chilwell. Quando o lateral-esquerdo foi apresentado em Stamford Bridge, Frank Lampard mencionou que ele seria uma peça importante ofensiva e defensivamente falando. Pessoalmente, acho que o técnico tem razão. Entretanto, não foi o caso de Ben Chilwell, neste sábado (24), na Premier League.

Ben Chilwell tocou muito na bola, pois ele pode atuar como uma válvula de escape quando a situação ofensiva está complicada. Por outro lado, ele pode auxiliar na saída de bola do time – apresenta qualidade para isso. As estatísticas do 0 a 0 com o Manchester United destacam que Chilwell se deu muito bem na linha defensiva, mas sofreu na parte frontal.

Segundo o SofaScore, o lateral teve 94 toques na bola, ou seja, bastante participativo como um todo. O futebolista acertou 81,5% dos passes e ganhou sete dos 10 duelos no chão. Entretanto, Chilwell perdeu a posse de bola em 20 oportunidades no jogo. Além de uma interceptação, quatro desarmes e dois dribles sofridos por Ben Chilwell.

Confira outros textos do Lupa Tática.

João Vitor Marcondes

Taubateano e jornalista.