Especial: os cinco melhores jogos do Chelsea na Premier League 2016/17

É triste ter de dizer adeus a mais uma temporada. Sem partidas oficiais para acompanhar por quase três meses, o Chelsea deu à sua torcida um generoso consolo este ano para amenizar a saudade ao conquistar o título da Premier League, e deixando, de quebra, um gostinho de “quero mais” para o próximo semestre, especialmente em relação à Champions League.

Mesmo com o fim, no entanto, as façanhas realizadas por Conte e seus comandados ainda merecem – e muito – serem relembradas e discutidas. Com uma campanha muito regular, apesar de seus tropeços, os Blues vivenciaram diversos momentos marcantes na caminhada rumo ao título e que, em alguns casos, foram peças chave para a chegada ao topo.

1) Chelsea 4×0 Manchester United – 23 de outubro de 2016

Com gols de Pedro, Gary Cahill, Hazard e Kanté, o Chelsea dava seus primeiros passos rumo a recuperação ao bater o United por 4 a 0 em Stamford Bridge (Foto: Mike Hewitt/Getty Images)

Uma goleada sobre o Manchester United por si só já seria algo para se lembrar por toda a temporada, mas a partida válida pela nona rodada da Premier League teve seu algo a mais para tomar tamanha significância na trajetória dos Blues.

Isso porque, nas rodadas iniciais da competição, o Chelsea não vinha rendendo o que se esperava. Até o encontro com a equipe dos Red Devils, havia somado apenas cinco vitórias, duas derrotas e um empate. O problema não estava nos números em si, mas no fato de que outros gigantes ingleses vinham conquistando mais pontos, deixando para trás a equipe londrina.

Depois de perder para Liverpool e Arsenal de forma inquestionável, os Blues voltaram a reagir diante do Hull City duas rodadas antes, e conquistaram seus primeiros três pontos sobre um possível concorrente direto pelas primeiras posições exatamente naquele encontro, em seu primeiro confronto contra uma equipe treinada por José Mourinho, apelidado durante sua passagem por Stamford Bridge como ‘the Special One’.

2) Chelsea 2×1 Tottenham – 26 de novembro de 2016

De virada, os Blues superaram o Tottenham em Stamford Bridge, mantendo-se já na liderança da competição por um ponto, de onde não saiu desde então (Foto: Chelsea FC)

Já na liderança do Campeonato Inglês, a partida entre Chelsea e Tottenham também foi responsável por fortes emoções nesta temporada. Ainda na 13ª rodada, os Blues haviam emendado uma impressionante sequência de vitórias que culminaram na chegada à primeira posição.

Ainda assim, a situação não chegava a ser confortável, já que apenas a um ponto de distância, Liverpool e Manchester City esperavam por um tropeço da equipe londrina para chegar ao topo da tabela. Restava ao Chelsea apenas jogar cada partida como se fosse a mais importante da competição para não perder aquilo que conquistara com tanto afinco.

E foi assim que os Blues se postaram diante dos Spurs, mesmo ao saírem atrás no placar. Em Stamford Bridge, ainda aos 11 minutos, Christian Eriksen abriu o placar para a audaciosa equipe visitante, que conseguiu manter a vantagem até o início do segundo tempo. Victor Moses e Pedro, no entanto, não permitiram que a equipe do norte londrino reinasse fora de seus domínios e, de virada, levaram o Chelsea a conquista de mais três pontos que lhe garantiram mais uma rodada no topo.

3) Manchester City 1×3 Chelsea – 3 de dezembro de 2016

Logo após a vitória sobre o Tottenham no clássico londrino, o Chelsea foi a Manchester para fazer mais uma vítima: desta vez, a equipe do City (Foto: Chelsea FC)

Em mais uma partida com um placar sólido e bem construído, o confronto entre Chelsea e Manchester City foi marcada por algo que transcende as quatro linhas. Menos de uma semana pós o acidente aéreo que vitimou a delegação da Chapecoense e diversos profissionais da mídia brasileira na Colômbia, a vitória foi marcada por uma série de homenagens a todos aqueles que foram atingidos pela tragédia.

Há também outro fator de extrema importância com relação a partida: o encontro com os Citizens aconteceu na rodada seguinte ao clássico diante do Tottenham, configurando uma curta porém complicada sequência para os Blues, que no ‘auge’ de sua temporada pareciam ser invencíveis.

O placar foi aberto somente nos últimos minutos do primeiro tempo, com um gol contra de Gary Cahill – e também o único marcado a favor do City na partida. O revés, contudo, não atrapalhou os planos do líder do campeonato de voltar a Londres com os três pontos. No retorno do intervalo, Diego Costa, William e Eden Hazard protagonizaram uma virada que expôs a força da equipe montada por Antonio Conte independente dos talentos individuais.

Além do um minuto de silêncio que se tornou protocolo da rodada de todos os campeonatos ao redor do globo, os dois marcadores brasileiros levantaram as braçadeiras que carregavam durante toda a partida com o dizer “#ForçaChape” após seus gols, marcando de forma extremamente emotiva e humana a incontestável vitória no Etihad Stadium.

4) Chelsea 3×1 Arsenal – 4 de fevereiro de 2017

Já no returno da Premier League, o Chelsea teve a oportunidade de se vingar após a derrota para o Arsenal por 3 a 0, e não deixou que esta passasse em branco (Foto: Chelsea FC)

Há quem diga que vingança é um prato que se come frio, mas não foi o caso do segundo encontro entre Chelsea e Arsenal pela Premier League. Na verdade, a vingança nunca foi tão doce quanto na 24ª rodada da competição.

A liderança de aparência frágil que era imposta pelos Blues antes da virada do ano já havia ganhado corpo naquele momento da temporada. Com 59 pontos, o Chelsea era soberano na primeira colocação, abrindo nove de vantagem sobre o vice-líder Tottenham. E foi no primeiro clássico londrino da segunda metade da competição que surgiu a esperança dos rivais de um tropeço.

Para a decepção geral, não aconteceu. O que se viu no Stamford Bridge naquele dia foi um domínio implacável dos donos da casa, que em nenhum momento sofreram grandes ameaças dos Gunners. O placar foi aberto aos 13 minutos de jogo, com Marcos Alonso, uma das grandes revelações da equipe na temporada. Ao longo da partida, Hazard e Cesc Fàbregas ainda ampliaram a vantagem dos Blues no placar, e foi em uma falha defensiva do Chelsea que, já nos acréscimos, Olivier Giroud descontou para a equipe visitante.

Aquele já não era o momento mais brilhante da equipe de Conte na temporada. Mesmo com a ampla vantagem na tabela, o desgaste físico de grande parte dos jogadores era visível e, mesmo assim, continuava a ser difícil bater a equipe londrina, tanto dentro quanto fora de casa.

5) Everton 0x3 Chelsea – 30 de abril de 2017

Já na reta final, o Chelsea transformou um confronto difícil fora de casa em um baile nos últimos minutos de jogo, mostrando porque merecia o título nacional (Foto: Chelsea FC)

A reta final do Campeonato Inglês foi, sem dúvidas, o período mais tenso de toda a temporada, especialmente para Chelsea e Tottenham, que a princípio nada tem a ver com a partida em questão.

Tudo começa no declínio produtivo pelo qual os Blues passavam naquele momento, resultado do desgaste causado pelos jogos da FA Cup e partidas atrasadas que vinham sendo disputadas no meio da semana. O cansaço ficava cada vez mais evidente e, se aproveitando de sua melhor forma no ano, o Tottenham comemorava cada tropeço dos rivais londrinos que permitiam sua aproximação.

E o que já estava complicado parecia piorar cada vez mais. O Chelsea teve uma sequência dura ao longo do mês de abril e, na 35ª rodada, enfrentaria o Everton, que vinha crescendo na competição para tentar roubar a vaga para a fase de grupos da Liga Europa se chegasse a quinta colocação, até então em posse do United.

Mas nem mesmo a boa fase construída pela equipe de Liverpool foi páreo para a determinação dos Blues em conquistar a taça. Em um jogo duro e equilibrado, os gols do líder da competição saíram num espaço de 20 minutos já na segunda etapa, sem dar tempo para que os Toffees pudessem pensar em reagir. Pedro, Cahill e William foram os responsáveis por concretizar uma das mais importantes vitórias do Chelsea ao longo da competição, ficando somente a seis pontos do tão esperado – e merecido – título.

Bônus: West Bromwich 0x1 Chelsea – 12 de maio de 2017

Valendo o título, o Chelsea teve de ‘fazer das tripas coração’ diante da quase intransponível barreira do West Bromwich, que nos últimos oito minutos acabou cedendo sob o ataque liderado por Batshuayi (Foto: Getty Images)

A partida diante do West Bromwitch não foi brilhante taticamente, e não chega a ser uma das melhores do Chelsea na competição.  Por ser o ‘jogo do título’ no entanto, merece o seu destaque.

Depois de vencer o Middlesbrough na rodada anterior, o Chelsea precisava de apenas três pontos para se tornar campeão de forma antecipada. Parte da torcida animava-se ao ver quem seria o próximo adversário, dando a conquista como certa naquela semana. Outra parte, porém, sentia o irrepreensível medo de confiar demais em algo que poderia não acontecer.

O fim da história todos sabem, mas não foi tão fácil quanto muitos pensavam. O Chelsea levava vantagem em todas as estatísticas do jogo, mas não conseguia converter sua superioridade em gols, sofrendo ainda com um dia de pouca inspiração por parte de Diego Costa, Pedro e Hazard.

E foi a partir da observação desse fato que os Blues colocaram, de forma definitiva, as duas mãos na taça. Aos 76′, o espanhol dono da camisa 11 foi sacado, dando lugar ao recém chegado – e criticado em suas últimas atuações pelo clube até então – Michy Batshuayi. E não poderia vir de outro o gol que concretizou a conquista do título da Premier League. Em menos de 10 minutos, o camisa 23 conseguiu transpor a sólida defesa do Albion e, em um único lance, o Chelsea se tornou, pela sexta vez em sua história, campeão inglês.

Category: Conteúdos Especiais

Tags:

Article by: Gabriela Bustamante

Estudante de jornalismo, 20 anos, apaixonada pelo Chelsea. Nunca superou o gol do Torres no Camp Nou.