12822637_1177209368986246_1204260445_o

Visando a Champions, Chelsea praticamente oficializa seu “adeus” para a Premier League 2015/16

Visando o jogo mais importante da temporada, que ocorrerá na quarta-feira diante do PSG, Hiddink poupou dois de seus três melhores jogadores em 2016. Diego Costa e Fàbregas não estiveram entre os titulares, e, assim, restou Willian. Enfrentando um organizado e bem estruturado Stoke City, acabou sendo muito pouco. O empate foi até lucro.

O Chelsea começou o jogo apresentando um bom posicionamento de linhas, pressionando a saída do Stoke, mas sem ter um grande repertório quando a bola estava em seus pés. E isso se deve, principalmente, a dupla Matic e Mikel, que pouco rendem ofensivamente quando estão juntos. Oscar também não viveu um grande dia, Hazard idem. O peso recaiu sobre Willian e Traoré. O segundo, comandando o ataque, desperdiçou algumas chances, mas se redimiu em uma bela jogada individual que marcou a abertura do placar no Stamford Bridge.

No equilíbrio das ações, o Stoke criou mais e teve mais posse de bola, exigindo Courtois a trabalhar. O Chelsea, mesmo abrindo o placar, apresentou um volume criativo baixo e se limitando a individualidade. O resultado do primeiro tempo não fez jus a atuação coletiva.

Na etapa complementar, os Blues passaram a se arriscar ainda menos. As oportunidades só vieram em uma jogada de Hazard, com chute cruzado, Willian, em cobrança de falta, e  Cahill, após finalização dentro da área. Do outro lado, a posse de bola só aumentava e o perigo eminente de empate era real. E se confirmou quando, depois de algumas boas intervenções, Courtois acabou falhando, espalmando para o meio da área e permitindo a tranquila finalização de Diouf.

A reta final teve ainda uma boa chance para o Chelsea, com Baba Rahman, quando Butland foi obrigado a trabalhar. Mas, igualmente perigoso foi Bojan, que levou a marcação com muita habilidade e chutou para a boa defesa de Courtois. No resumo da obra, um Stoke melhor, que teve mais oportunidades e posse de bola. O Chelsea, sem algumas de suas principais peças, foi observador em boa parte do tempo, mas ainda soube manter um jogo posicional interessante. Em uma Premier League já sem expectativas em termos de classificação, nada grave no resultado de hoje.

Notas:

Courtois – 6,5: boas defesas mas gol evitável.

Azpilicueta – 5,5

Ivanovic – 6,0

Cahill – 6,5

Baba – 6,0

Mikel – 5,0

Matic – 7,0: bons desarmes e assistência para Traoré. Foi também o principal destaque do segundo tempo.

Hazard – 5,0

Oscar – 4,5

Willian – 7,0

Traoré – 7,5: Boas participações e o gol na sua conta. Seu quarto em cinco jogos, se confirmando como boa opção para Hiddink.

Loftus Cheek – 6,0

Fàbregas – 5,5

Remy – 5,5

Butland – 6,5

Cameron – 6,0

Wollscheid – 7,0

Muniesa – 6,0

Pieters – 5,0

Whelan – 5,5

Imbula – 7,0

Shaqiri – 6,0

Afellay – 5,5

Arnautovic – 6,5

Diouf – 7,0

Bojan – 6,5

Ireland – 5,5

Joselu – 5,0

Compartilhe

Comments

Category: Crônicas

Tags: