Blue Perdido #7 – O jovem do berço de ouro

São poucos os jogadores que conseguem passar tanto tempo na base do Barcelona, considerada uma das melhores do mundo. Mais do que isso, que conseguem ser firmes na posição em que atuam em todas as categorias inferiores, subindo aos poucos. Esse é o histórico da ex-promessa Oriol Romeu, um volante que parecia ser o novo destaque mundial.

O espanhol chegou ao Barcelona em 2004, com apenas 13 anos, para jogar na categoria sub-15. Com o passar dos anos, atuou também nas categorias sub-17, sub-19 e Barcelona B. Até que, em 2010, Romeu finalmente pôde fazer sua estreia pelo time principal. Foram apenas duas partidas, e então o espanhol foi contratado pelo Chelsea por cinco milhões de euros. Era uma grande oportunidade para seu começo de carreira.

Expectativa em Londres

Oriol Romeu acumulou 33 jogos pelo Chelsea (Foto: Chelsea FC)

Quando chegou aos Blues, em 2011, pouco antes de completar 20 anos de idade, Romeu era visto como uma joia. No entanto, o volante ainda não havia tido a oportunidade de mostrar seu futebol entre os jogadores profissionais. Logo em sua primeira temporada, foram 24 jogos para exibir seu potencial. Chegou até a virar titular com Rafa Benítez pouco antes do Mundial, mas acabou sofrendo uma lesão no joelho que o fez perder espaço.

Na mesma temporada, o Chelsea venceu a Liga dos Campeões, e o volante espanhol acabou continuando na equipe como reserva de Ramires. Em 2012/13, no entanto, as coisas não andaram tão bem para o jovem. Ele fez apenas nove partidas em toda a temporada, e conseguiu marcar seu único gol com a camisa dos Blues – em partida contra o Wolverhampton.

Com contrato até 2015, o espanhol não fazia mais parte dos planos do Chelsea para a temporada 2013/14, já que os Blues contrataram Matic para a posição. Então, sem conseguir convencer após duas temporadas e 33 partidas disputadas, Romeu foi emprestado ao Valencia. Era uma reviravolta na carreira do espanhol, que até pouco tempo era tratado como uma joia vinda do Barcelona.

Pouco brilho nos empréstimos

De volta à Espanha, Romeu tinha a oportunidade de ser titular no Valencia, mas não aproveitou. Durante toda a temporada 2013/14, ele disputou apenas 18 jogos pelo clube e, novamente, não conseguiu firmar-se. O Chelsea não considerava sua volta de empréstimo como uma opção, pois não via espaço para o volante no clube.

Volante teve lesão séria no joelho e não correspondeu às expectativas (Foto: Chelsea FC)

Então, na temporada seguinte – sua última de contrato com os Blues – Romeu foi novamente emprestado, desta vez para o Stuttgart, da Alemanha. Lá, finalmente, conseguiu ter boas atuações e acumular partidas seguidas: foram 28 disputadas durante a temporada. O rendimento – melhor do que nos anos anteriores – não foi o suficiente para o Chelsea reintegrá-lo ao elenco principal.

Após a volta do empréstimo, os Blues concretizaram sua venda para o Southampton, onde o volante finalmente encontrou seu espaço e consegue praticar seu melhor futebol. Já são três temporadas no clube inglês, com 89 partidas disputadas e três gols marcados. Hoje, sem muito brilho, Romeu consegue fazer seu papel de meia defensivo sólido.

Sem o mesmo holofote de quando saiu da base do Barcelona, hoje o espanhol sabe que deve jogar simples para não acabar tendo outra temporada frustrada – assim como foi no Chelsea.

Seleções de base

Romeu foi um dos jogadores a atuar pelas seleções de base (Foto: Chelsea FC)

Pelas seleções de base da Espanha, Romeu participou de seis importantes campeonatos. São eles: Mundial sub-20 de 2009 e 2011, Eurocopa sub-19 de 2009 e 2010, Campeonato da Europa sub-17 de 2008 e Olimpíadas 2012. Somadas todas as participações nestes torneios, ele tem 17 partidas disputadas.

Pela seleção principal, no entanto, nunca foi convocado.

Lucas Olivan

Jornalista, 22 anos. Apaixonado pelo Chelsea desde 2006 e fã de segundos-volantes que sabem sair jogando. Luto todos os dias pelo objetivo de trabalhar com jornalismo esportivo.