Três lições que aprendemos com Chelsea 0x1 Manchester City

O Chelsea foi derrotado em casa pelo Manchester City no último final de semana, em jogo válido pela 7ª rodada da Premier League, e diante disso, algumas lições podem ser extraídas do jogo apático dos comandados de Antonio Conte. Apesar do resultado, os Blues conquistaram até então, a mesma quantidade de pontos que haviam conquistado na 7ª rodada da temporada passada, quando se sagraram campeões ao fim do torneio.

Conte também erra

Conte foi questionado sobre suas decisões durante a partida (Foto: Chelsea FC)

Assim como todos nós, Conte é humano e também erra. A escalação que o italiano mandou a campo não era das mais esperadas. Deslocou Azpilicueta para a ala, deixando os dois jogadores da posição no banco, e fez um trio de zaga que até então não havia jogado junto. A velocidade de Moses e seu poder ofensivo fizeram falta, assim como a saída de bola do espanhol na zaga. O treinador citou a maratona de jogos do nigeriano para justificar sua mudança.

No ataque, após lesão de Morata, era esperado Batshuayi. No entanto, Willian foi a campo. O brasileiro vinha tentando jogar bem, mas ainda muito abaixo do nível que já vimos, e não foi diferente contra o City. Conte tentou consertar o ataque “Hazard-Willian” que não estava dando certo, mas já aos 75 minutos de jogo, colocando Batshuayi e dando ao belga pouco minutos para tentar mudar o patamar do clássico.

Christensen crescendo cada dia mais

Christensen não deixou Jesus mostrar o que sabe. (Foto: UOL Esporte)

O dinamarquês vem ganhando tempo de jogo na zaga dos Blues e vai mostrando que veio para ficar. O zagueiro foi muito bem no jogo e cuidou da marcação de Gabriel Jesus, substituindo o lesionado Agüero. O brasileiro foi bem anulado pelo zagueiro, que fez mais um jogo digno de elogios, com alta precisão de passes e disciplina tática. Não tem sentido o peso de jogar grandes partidas e merece um lugar na zaga titular do Chelsea.

O Chelsea está começando a sentir a falta de elenco

Morata sentiu lesão muscular ainda no primeiro tempo (Foto: Getty Images)

A qualidade do time de Antonio Conte é inquestionável. As contratações foram de alto nível e a maioria já conseguiu mostrar o porquê de ter sido contratada pelos azuis de Londres. O fato é que, apesar das contratações, o elenco permanece curto, e a temporada será difícil.

Na primeira maratona de jogos das muitas que ainda virão (vide a próxima semana de jogos, onde os Blues jogarão seis partidas em 17 dias), Morata sentiu lesão muscular e Moses foi poupado por Conte. O time também não conseguiu se impor em campo, como fez contra o atlético, em razão da condição física limitada, com apenas poucos dias de descanso, em meio a viagens e jogos intensos.

Túlio Henrique