Na estreia de Higuain, Chelsea vence o Sheffield pela FA Cup

Depois do jogo duríssimo contra o Tottenham na quinta-feira passada, e da suada classificação nos penâltis para a final da Copa da Liga Inglesa onde enfrentará o Manchester City, o Chelsea voltou a campo neste domingo para, em casa, enfrentar o Sheffield Wednesday pela FA Cup e fez o seu papel. 3×0 e classificação garantida para a próxima fase da competição.

Primeiro tempo morno

O jogo começou num ritmo lento, com o Chelsea ocupando o campo de defesa do Sheffield com a sua habitual troca incessante de passes, mas sem muita objetividade. Era grande a expectativa da torcida pela estreia de Higuain, mas a bola pouco chegava nele devido a erros consecutivos no último passe. Aos 18′, Kovacic finalmente acertou e deu um passe magistral para o argentino que bateu cruzado e quase marcou seu primeiro gol pelos Blues.

Higuain estreiou e deixou boa impressão na torcida blue (Nick Potts/PA)

Aos 21′, na primeira chegada perigosa do Sheffield no ataque, Ampadu disputou com Pelupessy dentro da área e o juiz deu penâlti, num lance pra lá de duvidoso. Diante da reclamação veemente de todos os Blues, Andre Marriner consultou o árbitro de vídeo (VAR) e reviu sua decisão.

O VAR foi acionado e Andre Marriner reviu sua decisão de marcar penâlti para o Sheffield (AMA/Getty Images)

Alívio em Stamford Bridge, que logo se transformou numa grande festa quando, aos 23′, Azpilicueta recebeu de Hudson-Odoi dentro da área do Sheffield, tocou rápido na criança procurando a tabela e recebeu um pisão de Hutchinson. Penâlti claro que o VAR confirmou. Willian bateu e marcou seu gol de número 50 com a camisa do Chelsea. O primeiro tempo terminaria sem maiores emoções.

Willian bateu bem o penâlti e abriu o marcador (Catherine Ivill/Getty Images)

Vitória consolidada na segunda etapa

As equipes voltaram para o segundo tempo sem alterações e o panorama continuou o mesmo, com o Chelsea com mais de 70% de posse de bola, tentando penetrar nas linhas defensivas do Sheffield, que só se defendia. Aos 52′, Willian fez grande jogada pela ponta esquerda, aplicou um lindo drible em Palmer e cruzou. Hudson-Odoi tentou limpar o lance e a bola sobrou para Kovacic que bateu muito mal e isolou por cima do travessão. Aos 62″, Ampadu levantou na área e Higuain quase marcou de cabeça.

O Chelsea era só pressão até que, aos 65′, Christensen fez um lindo lançamento para Hudson-Odoi da linha que divide o gramado, no melhor estilo David Luiz, e a jovem promessa blue dominou com estilo dentro da área, cortou pra dentro de calcanhar e bateu forte para fazer o segundo gol do Chelsea na partida. Golaço da nossa estrelinha. Festa em Stamford Bridge.

Hudson-Odoi brilhou e marcou o segundo gol do Chelsea (Clive Rose/Getty Images)

Maurizio Sarri resolveu mexer e aos 66′ tirou logo o menino Ampadu, que fazia excelente partida, para colocar Ruben Loftus-Cheek. Kovacic, então, recuou e passou a jogar de volante, mas, mais uma vez, errou passes em profusão, não deu sequência às jogadas e concluiu muito mal as chances que teve. Mais uma partida pífia do croata, que, até agora, não disse a que veio.

Aos 82′, Sarri percebeu que Higuain estava cansado e o substituiu por Giroud. Apesar de não ter balançado as redes, Higuain fez uma estreia razoável e quase deixou o dele em duas oportunidades. Na verdade, a bola não chegou limpa uma vez sequer para o argentino, mas ele deixou em todos a impressão que, de agora em diante, voltaremos a ter um centroavante que os zagueiros adversários temem e respeitam, como nos bons tempos de Diego Costa no comando do nosso ataque.

O jogo caminhava para o seu final, mas cabia mais, e aos 84′, Willian, o melhor em campo, partiu pra cima da defesa do Sheffield, tabelou com Giroud e bateu forte para fazer o seu segundo gol na partida e dar números definitivos ao placar. 3×0 e segue o baile.

Ficha técnica

Chelsea (4-3-3): Caballero, Azpilicueta, Rudiger, Christensen e Marcos Alonso; Ampadu (Loftus-Cheek, 66′), Kovacic e Barkley (Jorginho, 84′); Hudson-Odoi, Higuain (Giroud, 82) e Willian

Reservas não utilizados: Kepa, David Luiz, Emerson e Pedro

Sheffield (4-2-3-1): Westwood, Palmer, Lees, Thorniley e Fox; Alcance e Pelupessy (Forestieri, 69′); Hutchinson, Bannan e Boyd (João Lucas, 74′); Fletcher (Nuhiu, 74′)

Reservas não utilizados: Dawson, Pudil, Padeiro e Marco Matias

Gols: Willian, 26′ (penâlti); Hudson-Odoi, 65′ e Willian, 84′

Árbitro: Andre Marriner

Estádio: Stamford Bridge

Público: 37.433

Joel Aranha