Mesmo atuando fora de Stamford Bridge, Chelsea conquistou mais um resultado positivo (Foto: Chelsea FC/Reprodução)

Após vitória, Hiddink não descarta sucesso na Europa: “Agora, com a ambição certa, devemos definir uma nova meta”

Jogando novamente fora de casa pela Premier League, o Chelsea garantiu mais um triunfo. Apesar de um segundo tempo menos tranquilo, os comandados de Guus Hiddink selaram a terceira vitória consecutiva na liga, feito inédito nesta época. Ao analisar a conquista dos três pontos na partida contra o Norwich City, o técnico holandês ficou com a sensação de que os Blues poderiam ter matado o jogo o quanto antes, o que não daria esperanças para os Canaries buscarem algo melhor no jogo:

“Temos, agora, vencido uma sequência de jogos e, naturalmente, isso nos satisfaz. Mas quando olho para o jogo, estivemos um pouco desleixados com a nossa chegada. Tivemos um excelente início com Kenedy, que fez um belo gol. Depois disso, tivemos algumas chances para obter um segundo gol no primeiro tempo e fizemos no final, mas antes disso, devíamos ter matado (a partida).

Estou satisfeito com os resultados que estamos alcançando, mas sempre gosto de ser crítico com a forma (em que o time jogou). Poderíamos ter terminado mais cedo”.

Ganhando a titularidade, Bertrand Traoré, pela primeira vez, foi titular numa partida oficial do Chelsea. Hiddink optou por descansar Willian e lançar o garoto entre os 11 iniciais. Guus falou sobre sua decisão e aproveitou para comentar o primeiro tento de Kenedy pela liga inglesa:

“Eles estão batendo na porta. Eles trabalham seriamente e, em seguida, você tem que utilizá-los, especialmente quando há um cronograma apertado. Eles precisam da experiência de jogar desde o início em intensos jogos da Premier League e foi por isso que não hesitei em trazê-los (para a partida).

Traoré entrou nos jogos anteriores e tinha boas aparições com gols marcados. Iniciar uma partida é um pouco diferente, mas é bom ter essa experiência. Ele desperdiçou algumas chances que, normalmente, poderia ter marcado, mas foi uma boa experiência para ele”.

Completando os 90 minutos, Eden Hazard esteve mancando no final do jogo, mas apesar disso, Hiddink descartou maiores problemas com o jogador. O técnico falou também sobre a opção de tirar Kenedy para a entrada de Abdul Baba Rahman:

“Eden teve um tempo difícil com lesões. É bom que ele está participando de jogos intensos e então ele vai aprimorar sua forma física. Ele tinha algum desconforto, mas não acho que seja um grande problema. Kenedy foi substituído porque tem o que é, esperançosamente, apenas uma pequena lesão na virilha”.

Com a vitória assegurada no Carrow Road e com os resultados das outras partidas, o Chelsea subiu momentaneamente para a 8ª posição, abrindo 15 pontos para a zona de rebaixamento e ficando a oito pontos do Manchester City, atual quarto colocado, mas que tem dois jogos a menos que os Blues na competição. Falando sobre a fase crescente do time na temporada, Hiddink não descartou o sonho de conquistar a Europa:

“Eles (jogadores) são capazes? Bem, primeiro de tudo, estamos felizes que estamos longe da zona de rebaixamento, embora esse não seja o padrão do Chelsea. Agora, com a ambição certa, devemos definir uma nova meta e ver o que podemos fazer na direção da Europa. Temos de continuar ganhando.

Nós temos um calendário apertado como todos sabem. O elenco não é muito grande, por isso esperamos todos disponíveis. Se todo mundo estiver sem grandes problemas, então gostaríamos de ir o mais longe possível em relação à Europa”.

Compartilhe

Comments

Category: English Premier League

Tags: