3875fb9f00000578-0-image-a-3_1474063098649

Antonio Conte se nega a mudar o time e acaba perdendo para si próprio

Tinha tudo para ser um grande jogo. Dois times fortes com dois treinadores muito inteligentes se enfrentaram em Stamford Bridge. O fator casa chegou a dar certo favoritismo ao Chelsea, mas Jürgen Klopp fez bom uso de seu elenco para sair com a vitória. Como se não bastasse o bom futebol do adversário, o Chelsea sucumbiu também à insistência na formação de jogo, tornando o revés inevitável.

Já há alguns jogos, muitos torcedores do Chelsea vêm comentando sobre a excessiva manutenção de alguns nomes no time titular. Com isso, obviamente, outros nomes acabam amargurando o banco de reservas. Sabemos que escolhas desse tipo cabem apenas a Antonio Conte e seus blue caps. Porém, vemos que algumas experiências começam a dar errado.

O objeto de estudo da vez é a derrota para o Liverpool. Os Blues sofreram dois gols ainda no primeiro tempo, e pouco fizeram na busca por uma reação. A maioria dos técnicos faria mudanças no time já no intervalo, ou poderia esperar cinco ou dez minutos para mexer. Conte foi além, e manteve seu 11 inicial até os 84 minutos jogados, quando fez as três substituições de uma vez (Moses, Pedro e Fábregas entraram no lugar de Matic, Willian e Oscar).

Chelsea foi totalmente dominado e amargou primeira derrota na Premier League
Chelsea foi totalmente dominado e amargou primeira derrota na Premier League

Podemos entender que se tratava de uma ação desesperada. Naquela altura do jogo, Diego Costa já tinha anotado um tento de desconto para os azuis londrinos, e o fim de jogo certamente seria interessante. Como vimos, de nada adiantou. Uma das análises mais interessantes foi do ex-atacante francês Thierry Henry, hoje comentarista esportivo:

“Não foi muito justo. Quero dizer, faltando sete minutos, o que eles poderiam fazer?” – indagou Henry.

“Não entendo o motivo para ele não ter colocado Batshuayi depois de 45 ou 6o minutos. Acho que era tarde demais quando ele substituiu.”

“Às vezes, nessas situações, vemos casos em que marcam gols dramáticos. Nesse jogo, ainda me surpreendeu muito o fato dele ter colocado Oscar de segundo atacante.”

Não foi um dia feliz para o Chelsea, tampouco para Antonio Conte. Seu inicio de trabalho é muito otimista no Chelsea, mas ainda vemos que nem tudo está devidamente ajeitado. De qualquer forma, a consolidação de uma boa campanha ainda é uma questão de tempo.

Compartilhe

Comments

Category: English Premier League

Tags: