Em Londres, Chelsea enfrenta Arsenal para ampliar vantagem no G4

Buscando melhorar o desempenho na Premier League, o Chelsea enfrenta neste sábado (18) a equipe do Arsenal, rival londrino que recebe a partida no Emirates Stadium. Válido pela 23ª rodada da competição, o confronto começa às 15h30, e será transmitido pela ESPN Brasil. Você também pode acompanhar todos os lances em tempo real pelo Twitter, no @ChelseaFC_pt.

Mistério no ataque

Sem poder contar com os reservas Marco van Ginkel e Ruben Loftus-Cheek, ambos lesionados, a dúvida que paira na cabeça de Maurizio Sarri às vésperas do clássico inglês é: quem escalar como centroavante? Álvaro Morata e Olivier Giroud deixaram muito a desejar em suas aparições pelo Chelsea, o que levou o técnico italiano a optar por alocar Eden Hazard na posição em algumas oportunidades.

O craque belga, por sua vez, não é fã da posição de falso 9 – algo que já disse abertamente -, e costuma ter um rendimento abaixo do normal quando atua a frente da equipe. No cenário ideal e, pela importância do jogo, Sarri optaria pela opção mais conservadora de manter um centroavante de origem, permitindo que o camisa 10 atue com liberdade onde se sente mais confortável.

Sem desfalques para o confronto

Do lado vermelho de Londres, Danny Welbeck e Rob Holding seguem no departamento médico do Arsenal e não devem jogar mais nessa temporada. Henrikh Mkhitaryan, que vinha se recuperando de uma fratura no metatarso, também segue fora, mas com previsão de retorno nos próximos quinze dias.

No mais, Unai Emery terá a sua disposição todos os jogadores, incluindo Mesut Özil, recuperado da lesão que o afastou do restante do elenco desde a rodada de Boxing Day. Para jogar, porém, o alemão terá de provar seu valor ao técnico, que já mostrou não ter muita confiança no camisa 10.

Prováveis escalações:

Chelsea (4-3-3): Kepa; Azpilicueta, Rudiger, Luiz, Alonso; Kante, Jorginho, Kovacic; Pedro, Hazard, Willian.

Arsenal (3-4-3): Leno; Mustafi, Sokratis, Koscielny; Bellerin, Guendouzi, Torreira, Monreal; Aubameyang, Iwobi; Lacazette.

Entrevistas pré-jogo

Maurizio Sarri (Chelsea)

Para Sarri, o confronto deste sábado promete ser completamente diferente do primeiro turno (Foto: Darren Walsh/Chelsea FC via Getty Images)

Durante a coletiva que antecede o clássico, Sarri afirmou que será um jogo difícil para ambas as partes. Segundo o treinador, os adversários dessa rodada vem evoluindo nos últimos jogos, e já não são o mesmo time do início da temporada, batido pelos Blues com o placar de 3 a 2.

“Esse jogo será um risco e uma oportunidade para nós. É um risco porque eles tem se saído muito bem em casa, o que torna a partida difícil e perigosa para nós”, afirmou.

“Eles tem um bom time. Ofensivamente, são uma das melhores equipes da Premier League; mas nós aprendemos que eles tem movimentos muito perigosos no setor ofensivo sem a bola, especialmente quando nosso lateral esta fora da linha de defesa para cobrir a bola.”

“Eu acredito que nós também podemos ser perigosos diante desse oponente, mas temos que ficar dentro do jogo, temos que nos defender com um alto nível de atenção e dedicação por 95 minutos”, completou Sarri.

Unai Emery (Arsenal)

Questionado sobre a situação de Özil, Emery não deu pistas sobre o futuro, mas deixou claro que o desempenho do camisa 10 não vem agradando (Foto: Stuart MacFarlane/Arsenal FC via Getty Images)

Do outro lado da capital, muito foi perguntado ao técnico espanhol sobre a posição de Özil dentro do elenco. Segundo a BBC, Emery teria sugerido ao alemão – que passa por má fase no clube – que deixasse o Arsenal durante a janela de transferências.

“Falei com ele porque quero consistência”, afirmou o treinador.

“Ele sofreu algumas lesões, e essas lesões significam que, ás vezes ele está bem e ás vezes não está. Eu quero que todos os jogadores trabalhem forte da mesma forma todos os dias para estarem preparados para todos os jogos. Com Mesut é a mesma coisa.”

“Ele não atuou nas últimas partidas mas é como qualquer outro jogador para mim. Neste sábado ele pode estar conosco se estiver bem. Agora? Ele está treinando consistentemente em sua preparação nas últimas duas semanas e eu acho que ele pode ser [melhor]”, completou.

Confrontos recentes

O histórico recente dos confrontos oficiais entre Chelsea e Arsenal é fortemente marcado pelo equilíbrio. Nos seis últimos encontros, foram quatro empates e uma vitória para cada lado.

No último clássico disputado em Stamford Bridge pela atual temporada da Premier League, os Blues saíram com a vantagem, batendo o rival por 3 a 2.

Fique de olho

Pierre-Emerick Aubameyang

Apesar da ‘seca’ nos últims jogos, um descuido com Aubameyang pode ser letal para os Blues (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)

Em quinto lugar na Premier League, a temporada do Arsenal poderia estar bem pior se não fosse pela presença de Aubameyang. O camisa 14 é artilheiro da competição ao lado de Harry Kane, ambos com exatos 14 gols. No returno, ainda não conseguiu desencantar, tendo marcado apenas uma vez; e em Stamford Bridge, também saiu de campo zerado apesar dos esforços para evitar a derrota. A equipe como um todo, porém, vem evoluindo no campeonato inglês, e o atacante gabonês é uma peça que pode trazer perigo a meta dos Blues em um momento de desatenção.

Curiosidades

  • O Arsenal venceu apenas um dos últimos 14 jogos pela liga contra o Chelsea; o triunfo aconteceu no próprio Emirates, em setembro de 2016;
  • Apenas o Liverpool (13), atual líder da competição, passou mais jogos que o Chelsea (10) sem sofrer gols na Premier League; enquanto isso, o Fulham (2) é a equipe que menos vezes conquistou esse feito, seguida de perto pelo Arsenal (3);
  • O Arsenal marcou 20 gols nos sete London Derby’s disputados pela atual temporada da Premier League, duas vezes mais que qualquer outra equipe;
  • O Chelsea não vence quatro partidas seguidas fora de casa pela competição em uma única temporada desde dezembro de 2016.

Gabriela Bustamante

Estudante de jornalismo, 20 anos, apaixonada pelo Chelsea. A mulher que chora quando pensa naquele Barcelona 2x2 Chelsea no Camp Nou, em 2012.