Chelsea tropeça no Everton em casa

Que decepção! Jogando em casa, contra um adversário fraco, de meio de tabela, o Chelsea atuou muito mal e desperdiçou excelente oportunidade para se manter colado ao Manchester City e ao Liverpool na briga pela liderança.

Primeiro tempo horroroso e com cinco cartões amarelos

O jogo começou com o Everton conseguindo neutralizar todas as investidas do Chelsea, através de uma marcação adiantada forte no seu campo de ataque, que fez os blues errarem muitos passes, algo incomum desde a chegada de Maurizio Sarri e da implantação do sarribol.

A primeira finalização do Chelsea só ocorreu aos 23′, com Alonso batendo bem uma falta sofrida por Hazard, que gerou o primeiro cartão amarelo da partida para Mina. Aos 28′, Jorginho fez uma falta desclassificante em Sigurdsson e também levou o cartão amarelo. Logo a seguir, Kanté também foi premiado, após uma entrada dura em Richarlison.

O Chelsea não conseguia criar jogadas e o jogo se arrastava sem empolgar, até que aos 39′, em uma cobrança de falta ensaiada, Willian fez um lançamento longo para Alonso, que pegou de primeira e quase marcou um golaço. Pickford fez grande defesa e espalmou para córner. O primeiro tempo terminaria com um desentendimento entre Rudiger e Bernard e com os dois também amarelados. Cinco cartões amarelos nos primeiros quarenta e cinco minutos e pouquíssimo futebol.

Jorginho esteve irreconhecível e fez a sua pior partida pelo Chelsea. Foto de Catherine Ivill/Getty Images

Morata desperdiça todas as oportunidades

As equipes voltaram sem alterações para o segundo tempo e, com 15″, Morata desperdiçou excelente oportunidade, nascida de uma belíssima jogada ensaiada na saída de bola, quando David Luiz lançou Alonso que foi no fundo e cruzou para Morata concluir bisonhamente e perder o gol de dentro da pequena área. Aos 51′, o espanhol deixou o cruzamento de Hazard passar por entre as suas pernas, também na pequena área, após tabelinha infernal de Willian e Hazard pela direita do ataque. Aos 55′, Kepa, que até então apenas assistia ao jogo, fez a sua primeira defesa, num bom chute de fora da área de Sigurdsson, melhor jogador dos Toffes na partida. A seguir, o brasileiro Bernard protagonizou um lance constrangedor aos tentar concluir de primeira um bom ataque do Everton e se atrapalhar com a bola.

Empurrado pela torcida e precisando a todo custo da vitória para se manter entre os líderes, o Chelsea melhorou seu rendimento na partida e partiu pra cima do Everton em busca da vitória e o gol quase saiu com Willian aos 59′. Após receber um primoroso lançamento da Hazard, o brasileiro penetrou na área e bateu cruzado, com a bola triscando a trave direita de Pickford.

Aos 63′ os técnicos resolveram mexer e Lookman substituiu Bernard no Everton, enquanto Fàbregas entrou no lugar de Jorginho, que não estava bem no jogo, errando passes que não costuma errar. A pressão dos Blues aumentou e aos 64′, em uma boa trama pela esquerda a bola sobrou para Alonso que num belíssimo chute cruzado acertou a trave esquerda de Pickford.

Aos 67′, Sarri resolveu mexer de novo e colocou Pedro no lugar de Willian, que fazia boa partida. Aos 71′ Morata recebeu um num belo cruzamento de Azpilicueta e acertou sua única conclusão para gol na partida, pena que, mais uma vez, ele estava impedido. A frustração só aumentava, quando Hazard recebeu lindo passe de Kovacic e bateu de biquinho da chuteira pra fora. O Chelsea era só pressão e Pickford recebeu o amarelo por retardar a saída de bola.

Aos 75′, Andre Silva fez a sua segunda substituição e recuou ainda mais os Toffes com a entrada de Jagielka no lugar de Sigurdsson, que fazia excelente partida. Aos 81′, Barkley entrou no lugar de Kovacic, que jogou bem, e aos 87′ Calvert-Lewin substituiu a Richarlison.

Com 70% de posse de bola, mas sem inspiração, o Chelsea pressionou até o fim, mas Morata, sempre mal colocado, não conseguia aparecer para finalizar as jogadas e se posicionava em impedimento a todo instante, acabando com o que restava da paciência do torcedor blue. Aos 88′, ele recebeu o cartão amarelo por reclamar insistentemente com Kevin Frank e deixou todos com a impressão de que ele reclama muito mais do que joga.

Kevin Frank deu cinco minutos de acréscimos, mas o Everton conseguiu segurar o jogo e não levou qualquer susto no fim. Péssimo resultado. Pontos irrecuperáveis deixados pelo caminho num campeonato que não permite erros. Precisamos, urgentemente, contratar um centroavante top de linha na janela de janeiro se quisermos voltar a ser campeões.

Morata desperdiçou todas as oportunidades criadas e reclamou mais do que jogou. Foto Catherine Ivill/Getty Images

Ficha Técnica

Chelsea (4-3-3): Kepa, Azpilicueta, Rudiger, David Luiz e Alonso; Jorginho (Fàbregas 63′), Kanté e Kovacic (Barkley 81′), Willian (Pedro 67′), Morata e Hazard

Reservas não utilizados: Caballero, Christensen, Zappacosta e Giroud

Everton (4-2-3-1): Pickford, Coleman, Keane, Mina e Digne; Andre Gomes e Gueye; Walcott, Sigurdsson (Jagielka 75′) e Bernard (Lookman 63′); Richarlison (Calvert-Lewin 87′)

Reservas não utilizados: Stckelenburg, Baines, Tosun e Davies

Árbitro: Kevin Frank

Estádio: Stamford Bridge

Público: 40.345

 

Joel Aranha