Chelsea é derrotado pelo Leicester em Stamford Bridge

Apontado por todos como grande favorito para vencer a partida, o Chelsea não correspondeu às expectativas e foi derrotado pelo Leicester, em casa, perdendo a sua invencibilidade como mandante em Stamford Bridge nesta temporada da Premier League.

Chelsea sem sorte

A sorte não estava do lado do Chelsea e David Luiz não conseguiu cabecear a bola por milímetros/Chelsea Twitter

O jogo começou com o Chelsea pressionando e, logo aos 2′, David Luiz fez um excelente lançamento do seu campo de defesa para Willian que, cara a cara com Schmeichel, se atrapalhou na hora de concluir, perdendo grande oportunidade de abrir o marcador. Aos 16′, novamente a dupla brasileira iria ser protagonista de um novo lance de muito perigo para o Leicester, quando Willian bateu escanteio pela esquerda, Pedro raspou na primeira trave e David Luiz não alcançou a bola no segundo pau por milímetros. A falta de sorte que pairava no ar deixou todos atônitos em Stamford Brigde quando, aos 32′, uma oportunidade de ouro se ofereceu para o Chelsea. O zagueirão do English Team Harry Maguire não dominou uma bola fácil que lhe foi passada na entrada da sua área e a criança acabou nos pés de Hazard, que livre, dentro da área, encheu o pé e carimbou o travessão de Schmeichel. Mau prenúncio do que estava por vir. Logo Hazard, que fazia boa partida e já havia amarelado Ndidi aos 30′, perder um gol cara a cara com o goleiro sem marcação…

Posse de bola improdutiva

Claude Puel, técnico do Leicester, armou a sua equipe com nítida preocupação defensiva, afinal, o jogo era fora de casa e contra uma das equipes do top six da Premier League. Com suas linhas defensivas bem montadas e os seus três homens de meio atuando  como volantes, o Leicester passou praticamente todo o primeiro tempo em seu campo de defesa, com apenas Vardy isolado no ataque. A única chegada do time no primeiro tempo só foi ocorrer aos 40′, quando Ndidi pegou uma sobra na entrada da área e bateu forte, de primeira, para defesaça de Kepa, que com a mão direita espalmou para escanteio.

O Chelsea iria terminar o primeiro tempo com 76% de posse de bola e atuando o tempo todo no campo de defesa do Leicester. No entanto, foi uma posse improdutiva, na medida em que, os lances concretos de perigo de gol foram apenas três.

Vardy marca e decide a partida

Vardy recebeu um passe magistral de Maddison e fez o único gol da partida/Leicester Twitter

As equipes voltaram para a segunda etapa com as mesmas formações, mas o Leicester adotou uma postura mais ofensiva. Aos 51′, Ricardo Pereira roubou a bola de Pedro, partiu verticalmente com ela, deu um drible desconcertante em Jorginho e tocou para Maddison que deu um passe espetacular para Vardy penetrar na área pela direita do ataque e bater forte, de primeira. Golaço do Leicester. Kepa, que poderia ter fechado melhor o ângulo, nem se mexeu.

Aos 58′, Hazard, que mais uma vez era praticamente o único a criar os lances de perigo do Chelsea na partida, fez excelente jogada individual pela esquerda do ataque e bateu forte para defesa espetacular de Kasper Schmeichel, que colocou para escanteio.

Maurizio Sarri percebeu, tardiamente, que Kovacic estava se escondendo do jogo, totalmente sumido, e resolveu mexer na equipe. Aos 60′ entraram Loftus-Cheek no lugar do croata e Giroud no lugar de Willian, que se movimentava bem, mas não estava num bom dia, falhando nos momentos decisivos.

No entanto, aos 65′, quem quase marcou foi o Leicester, quando Kepa soltou uma bola fácil que havia sido cruzada na área e Vardy tentou a conclusão de calcanhar. Azpilicueta, atento, salvou o que seria o segundo gol de Jamie Vardy, que fazia a sua partida de número 300 pelo Leicester.

Com o Leicester bastante aplicado taticamente, com James Maddison jogando muito e Ricardo Pereira fazendo também um grande jogo, a partida cresceu em emoção e ficou lá e cá, com o Chelsea sendo obrigado a partir para cima do Leiceste em busca da virada.

Aos 74′, Sarri fez a sua última substituição e colocou Fàbregas no lugar de Jorginho, que, mais uma vez, deu inúmeros passes laterais e não jogou bem.

O jogo entrou na sua reta final com o Chelsea pressionando, tendo 72% de posse de bola, mas sem conseguir finalizar. Loftus-Cheek não estava bem, errava todos os passes e não conseguia dar seguimento as jogadas. Giroud também não estava em seus melhores dias e fez o torcedor blue se lembrar de Morata, ao estragar praticamente todas as tramas ofensivas que criávamos, seja se colocando toda hora em impedimento, seja fazendo faltas nas disputas com os zagueiros do Leicester. Como nossos laterais não chegavam nunca na linha de fundo e cruzavam todas da entrada da área, o Leicester não tinha dificuldades em rebater todas as bolas e não tomava grandes sustos. Aos 80′, Mendy segurou Hazard e tomou o amarelo. Aos 81′, Puel resolveu mexer e Gray entrou surpreendentemente no lugar de Maddison, que fazia grande partida. Aos 81′, quase o segundo gol do Leicester. Marc Albrighton pegou bem de fora da área e Kepa defendeu. Aos 83′, Vardy deu lugar a Iheanacho e saiu de campo ovacionado pela pequena torcida do Leicester presente em Stamford Bridge.

Com o Chelsea todo no ataque, Rudiger perdeu grande chance ao cabecear pra fora o escanteio batido por Pedro aos 88′. O juiz deu quatro minutos de acréscimos, mas a sorte, que já havia dado sinais claros de que não sorriria para o Chelsea no dia de hoje, foi mais uma vez cruel com os blues. Em uma jogada espetacular de Kanté, Marcos Alonso entrou livre na área e, cara a cara com Schmeichel, chutou colocado, mas a bola caprichosamente bateu na trave de novo. Não era pra ser.

Ficha técnica

Chelsea (4-3-3): Kepa, Azpilicueta, Rudiger, David Luiz e Marcos Alonso; Jorginho (Fàbregas, 74′), Kanté e Kovacic (Loftus-Cheek, 60′); Pedro, Hazard e Willian (Giroud, 60′)

Reservas não utilizados: Caballero, Barkley, Zappacosta e Cahill

Leicester (4-3-3): Schmeichel, Ricardo Pereira, Morgan, Maguire e Chilwell; Mendy, Ndidi e Choudhuty; Albrighton, Vardy (Iheanacho, 83) e Maddison (Gray, 81)

Reservas não utilizados: Ward, Evans, Okazaki, Iborra e Fuchs

Gol: Vardy, 51′

Árbitro: Lee Probert

Estádio: Stamford Bridge

Público: 40.558

 

Joel Aranha