Chelsea supera Brighton e vence mais uma pela Premier League

Depois de triunfar contra o Manchester City no último fim de semana, o Chelsea segue vencendo pela Premier League, e a vítima da vez foi o Brighton, em pleno Falmer Stadium. Com gols de Pedro e Hazard para o Chelsea, e Solly March pelo time da casa, o triunfo azul foi concretizado pelo placar de 2 a 1.

Com os três pontos conquistados, os Blues deixaram para trás a equipe do Arsenal, que foi derrotada pelo Southampton por 3 a 2 também neste domingo. Na próxima semana, os comandados de Maurizio Sarri voltam a campo pela competição em casa, enfrentando o Leicester – e torcendo por tropeços dos primeiros colocados.

Como se estivesse em casa

Ainda no início do jogo, Pedro abriu o placar para os Blues em grande finalização, indefensável para o goleiro Ryan (Foto: Mike Hewitt/Getty Images)

O Chelsea começou o confronto com fome de gols, partindo para o ataque com Willian pela lateral, mas sem sucesso na finalização. Ainda assim, os Blues mantiveram forte pressão sobre a equipe da casa, que apareceu no campo adversário pela primeira vez apenas aos 10 minutos.

Mat Ryan tentou dar um passe e profundidade para Glenn Murray dentro da grande área, mas o companheiro de equipe estava em posição irregular, validando a marcação de impedimento. Na sequência, o Albion criou mais uma oportunidade idêntica a primeira, com mais um impedimento marcado.

Mesmo criando chances mais claras, o Brighton era praticamente dominado pelo Chelsea, que respondeu às investidas com eficácia aos 17′. Em bom avanço individual, Eden Hazard bateu cruzado na grande área adversária, dando passe para Pedro finalizar no canto esquerdo de Ryan, abrindo o placar para os Blues.

A vantagem só aumentou a fome de bola dos visitantes, que mantiveram a pressão sobre o Brighton. Com o Chelsea exercendo domínio sobre a partida, o Albion caçava espaços para tentar o empate e, aos 31 minutos, quase conseguiu. Solly March finalizou bem de pé esquerdo na direção da meta de Kepa, mas o goleiro espanhol fez grande defesa, impedindo o feito.

Em resposta, Antonio Rüdiger tentou dar passe em profundidade para Willian. O brasileiro, no entanto, também foi pego em impedimento; mas logo depois, aos 33′, deu grande assistência para que Hazard, após falha da defesa dos Seagulls. Sozinho, o camisa 10 arrancou até a área adversária para finalizar no canto inferior do Albion, ampliando para 2 a 0 o placar.

Durante os minutos finais da primeira etapa, mais uma grande jogada do Chelsea, que abafava qualquer tentativa dos donos da casa de crescer na partida. David Luiz serviu Pedro que, em posição irregular, não conseguiu finalizar. Em cobrança de escanteio, Rüdiger também apareceu bem, cabeceando no meio da área; mas mandou a bola para fora pouco antes do intervalo.

Pressão final do time da casa e vitória decretada

Na segunda etapa, o Brighton apareceu em grandes oportunidades de ataque, diminuindo a vantagem da equipe visitante (Foto: Gareth Fuller/PA Images via Getty Images)

Sem alterações, as duas equipes voltaram à campo com a mesma energia da primeira etapa. A intensidade, porém, deu as caras após alguns minutos de aquecimento. Com o relógio marcando 48′, o Chelsea chegou à área adversária com facilidade, e em meio a uma confusão entre Blues e Seagulls, Pedro concluiu para o centro do gol, mas sem sucesso.

O Brighton tentou mostrar reação com Pascal Gross, que deu passe para March, pego em posição irregular. No toma lá, da cá de oportunidades, Marcos Alonso foi quem apareceu para a próxima grande jogada. Com assistência de Hazard, o camisa 3 bateu direto de fora da área, e só não marcou graças a trave esquerda de Ryan.

Toda a pressão somada ao quase gol de Alonso pareceu finalmente surtir efeito nos donos da casa. Em jogada rápida, Solly March aproveitou a confusão dentro do campo de defesa dos Blues, e finalizou de pé esquerdo no centro do gol de Kepa. O goleiro espanhol esticou o corpo para tentar a defesa, mas não conseguiu impedir o gol.

Com o placar marcando 2 a 1, o Albion finalmente avançava no jogo como um todo, diminuindo o controle dos visitantes. Para tentar abafar novamente os avanços e se manter a frente, o Chelsea não diminuiu seu ritmo. Em mais uma jogada para tentar ampliar a vantagem aos 76′, Hazard acabou sofrendo falta de Stephens, o que paralisou a partida por alguns minutos – e gerou descontentamento da torcida local.

Ainda assim, os Blues partiram para cima após o reinício da partida. Barkley chegou bem a meta adversária, mas a finalização não teve o mesmo sucesso. Poucos minutos se passaram desde então, e logo Hazard teve de deixar o campo graças a falta que sofrera, dando espaço para Olivier Giroud.

Investindo na ideia de que a melhor defesa é o ataque e, mesmo sem o atacante belga, o Chelsea manteve-se avançado em campo. Aos 86 minutos, foi a vez de César Azpilicueta arriscar um passe para Loftus-Cheek, que estava impedido na jogada. A sequência foi, novamente, do Brighton, que teve novo impedimento marcado em jogada de Pascal Gross.

Solly March encontrou mais uma chance de gol aos 88′, finalizando com o pé esquerdo de fora da área. Em seguida, foi a vez de Montoya arriscar após cruzamento de March, mas novamente sem sucesso. O capitão do Brighton Dunk cabeceou no meio da área de Kepa após cobrança de escanteio, em pressão dos donos da casa nos minutos finais, mas de nada adiantou.

O árbitro da partida ainda acrescentou 5 minutos ao jogo, compensando todas as paralisações da partida, mas de nada adiantou para os Seagulls, que acabaram derrotados por 2 a 1.

Ficha Técnica

Chelsea (4-3-3): Kepa; Azpilicueta, Rudiger, David Luiz e Alonso; Kanté, Jorginho, Kovacic (Barkley 75′); Willian, Pedro (Loftus-Cheek 66′) e Hazard (Giroud 83′).

Reservas não utilizados: Caballero, Christensen, Emerson Palmieri, Fàbregas.

Brighton (4-4-1-1): Ryan; Bernardo, Dunk, Balogun, Montoya; March, Stephens, Propper, Knockeart (Locadia 83′); Gross (Bissouma 81′); Murray (Andone 59′).

Reservas não-utilizados: Steele, Bruno, Bong, Kayal.

Gols: Pedro 17′, Hazard 33′ (CHE), March 66′ (BHA).

Cartões amarelos: Dunk 54′,  Andone 69′ (BHA), Alonso 87′, Kepa 90′ (CHE).

Gabriela Bustamante

Estudante de jornalismo, 20 anos, apaixonada pelo Chelsea. A mulher que chora quando pensa naquele Barcelona 2x2 Chelsea no Camp Nou, em 2012.