Chelsea bate Fulham e volta a vencer pela Premier League

Recuperado da derrota para o Tottenham no último fim de semana, o Chelsea voltou a vencer pela Premier League, batendo o Fulham por 2 a 0 em Stamford Bridge. Com gols de Pedro e Loftus-Cheek, os Blues conquistaram três pontos, retornando a terceira posição na tabela de maneira provisória – o Tottenham ainda joga nessa rodada. Os Cottagers, por sua vez, segue na lanterna da competição, somando apenas oito pontos até o momento.

A equipe treinada por Maurizio Sarri volta a campo pela competição na próxima quinta-feira (05), contra o Wolverhampton fora de casa. Já no sábado (08), enfrenta o líder da competição Manchester City, que soma sete pontos a mais no momento.

Domínio azul

Atacando com agilidade, o Chelsea chegou ao primeiro gol ainda aos quatro minutos, em uma bela finalização de Pedro (Foto: Getty Images)

Os primeiros minutos do West London Derby mostravam uma prévia do que seria o confronto. Mesmo com o Fulham criando a primeira jogada mais perigosa, foi o Chelsea quem abriu o placar aos 4 minutos. Veloz, N’Golo Kanté deu bom passe para Pedro, que finalizou no canto esquerdo do gol de Sergio Rico para colocar a equipe da casa à frente.

A desvantagem não desanimou os Cottagers, apesar de parecer desconcentrar o meia Seri, que falhou no lance do gol – e continuou a cometer erros bobos na sequência da partida. Do outro lado, o Chelsea crescia apostando em jogadas de contra-ataque com velocidade.

Quando o relógio marcava 15′, a equipe visitante voltou a oferecer perigo com Calum Chambers, que finalizou de fora da área com força. A bola mirou o centro do gol de Kepa, que agarrou com segurança, fazendo sua primeira boa defesa na partida. Após o lance, o Fulham demorou a aparecer novamente de maneira ofensiva, diferente dos Blues, que chegaram perto de aumentar o placar algumas vezes.

Já com o domínio mais claro da partida, aos 24 minutos o Chelsea chegou bem à grande área adversária com Giroud. De um angulo difícil, o francês teve a oportunidade de marcar, mas chutou em cima do goleiro Rico, que impediu o feito. Pouco depois, Hazard apareceu sozinho no meio de campo, recebendo lançamento após pressão do Fulham para o empate. No desespero de parar a jogada, Denis Odoi fez falta sobre o camisa 10, cobrada por David Luiz sem grande sucesso.

Aos 36′, Giroud protagonizou mais um importante lance, tendo a chance de marcar diante do Fulham após um erro Cyrus Christie no meio campo. A jogada, porém, foi novamente parada por Rico, que repetiu o feito ainda uma terceira vez – em outro lance com o camisa 18 – quando o relógio marcava 42 minutos. O Chelsea trocava passes velozes na entrada da área adversária quando o centroavante tentou finalizar ao receber passe de Azpilicueta, mas o goleiro espanhol venceu o duelo à parte que se instalará entre os dois.

Fulham cresce, mas sem efetividade

Em pouco mais de 10 minutos em campo, Loftus-Cheek marcou o segundo gol do Chelsea, decretando a vitória em Stamford Bridge (Foto: Getty Images)

No retorno para a segunda etapa, o Fulham entrou em campo com alterações, enquanto o Chelsea manteve a escalação que iniciou a partida. Ainda aos 46′, os Cottagers quase chegaram ao empate, não fosse o bloqueio feito pela defesa azul sobre Aleksandar Mitrović, que cometeu falta no lance de ataque sobre Antonio Rüdiger.

Pedro chegou bem novamente a meta do Fulham logo na sequência, recebendo assistência de David Luiz. A bola finalizada de pé direito de fora da área, no entanto, foi defendida por Rico, que fazia grande apresentação na partida apesar do gol sofrido na primeira etapa.

Aos 53 minutos, a equipe visitante partiu para cima dos Blues novamente com perigo. A jogada foi parada por Rüdiger, que quase marcou contra ao mandar a bola para fora, cedendo o escanteio. Na cobrança, Seri fez a batida, mandando a bola de encontro com Chambers, que cabeceou quase dando origem ao gol, não fosse a grande defesa de Kepa, completada por Pedro.

Já aos 60′, Marcos Alonso também se aventurou ao tentar uma finalização do lado esquerdo do gol de Rico, que defendeu o avanço. Na sequência, Hazard partiu para o ataque com o domínio da bola novamente, sendo parado por Christie com outra falta. Após a batida, Pedro teve sua segunda chance para marcar finalizando de pé direito, mas sem o mesmo aproveitamento do lance anterior.

Mesmo sob pressão, o Fulham crescia em campo, ameaçando a vitória adversária em diversos momentos. Apenas dois minutos após o lance protagonizado por Pedro, Tom Carney deu assistência para que Chambers finalizasse rumo a meta dos Blues, mas foi parado em grande defesa feita por Kepa – talvez a melhor do jogo.

Passava da metade da segunda etapa quando Maurizio Sarri decidiu fazer as primeiras alterações na equipe. Tirou de campo Mateo Kovačić, que sofrera uma falta perigosa pouco antes do intervalo, e mandou a campo Ruben Loftus-Cheek. Já no ataque, trocou um centroavante por outro, substituindo Giroud por Álvaro Morata.

As mudanças acabaram gerando bons frutos e, aos 81 minutos, o Chelsea chegou ao segundo gol, liquidando a partida. Em um avanço pouco mais raro àquele ponto, Hazard deu passe de dentro da área para Loftus-Cheek. O jovem camisa 12, que vem fazendo boas aparições pela equipe principal aproveitou a oportunidade, e de pé direito estufou as redes, decretando a vitória por 2 a 0 e o retorno do Chelsea a terceira posição.

Ficha Técnica

Chelsea (4-3-3): Arrizabalaga; Alonso (Zappacosta 78′), David Luiz, Rüdiger, Azpilicueta; Kovačić (Loftus-Cheek 67′), Jorginho, Kanté; Hazard, Giroud (Morata 70′), Pedro.

Reservas não utilizados: Caballero, Fàbregas, Willian, Christensen.

Fulham (4-4-2): Rico; La Marchand, Mawson, Odoi, Christie; Johansen (Ayité 46′), Seri, Cairney, Chambers; Mitrović, Sessegnon (Kamara 46′).

Reservas não utilizados: Bettinelli, Kebano, Ream, Bryan, Cissé.

Gols: Pedro 4′, Loftus-Cheek 82′.

Cartões amarelos: Denis Odoi 54′, Azpilicueta 69′, Morata 83′.

Gabriela Bustamante

Estudante de jornalismo, 20 anos, apaixonada pelo Chelsea. A mulher que chora quando pensa naquele Barcelona 2x2 Chelsea no Camp Nou, em 2012.