Chelsea vence o Vidi por placar magro, mas lidera o Grupo na Liga Europa

Foi muito mais complicado que o esperado. Se antes da bola rolar em Stamford Bridge a torcida esperava uma goleada, quando o árbitro apitou o que se viu foi o contrário. O Vidi foi a Inglaterra buscando somar um ponto e por pouco não conseguiu. O gol isolado de Morata faz torcedores e comissão técnica ligarem o sinal de alerta. É preciso melhorar coletivamente para que o time não dependa exclusivamente de talentos individuais.

Agora, com seis pontos em dois jogos, o Chelsea aparece na liderança do grupo. Na próxima rodada, os Blues encaram o BATE Borisov, em partida que será realizada também na Inglaterra.

0 a 0 na primeira etapa e chance incrível perdida por Morata

O Chelsea começou o jogo como era esperado. O time de Maurizio Sarri tinha a posse de bola e não demorou muito para tomar as rédeas do duelo. A primeira chance clara de gol surgiu aos 10 minutos. Em uma boa jogada individual de Emerson Palmieri, o brasileiro naturalizado italiano invadiu a grande área e chutou para fora. Willian e Kovacic também tiveram boas oportunidades antes mesmo dos 15 minutos, mas pecaram na finalização.

Fabregas foi o responsável por iniciar as jogadas no jogo (Fonte – Chelsea FC)

Quem também teve uma ótima chance de abrir o placar foi Morata. O centroavante recebeu sozinho na área, após bom passe de Pedro, mas o espanhol perdeu o gol jogando a bola para fora. O lance representou todo o momento do camisa 29. Além da falta de confiança, Morata atravessa um oceano de azar.

O tempo foi passando e a bola começou a queimar nos pés dos jogadores do Chelsea. Mesmo com a discrepância técnica para o adversário da Hungria, os Blues não conseguiam abrir o placar. Fabregas, que substituía Jorginho não conseguia criar muitas chances de gol. Já Loftus-Cheek, queria mostrar serviço, mas segurava a bola mais que o necessário, fazendo com que o time perdesse algumas chances de gol. Enquanto isso, o Vidi era só defesa e apostava em raros contra-ataques.

Arbitragem erra lá e cá

Loftus-Cheek tentou várias jogadas individuais e sofreu pênalti não marcado (Fonte – Chelsea FC)

O árbitro Miroslav Zelinka, da República Tcheca protagonizou dois momentos de indignação das torcidas. Para o lado dos azuis de Londres, jogadores e torcedores ficaram pedindo um pênalti em cima de Loftus-Cheek. O inglês foi derrubado após uma boa jogada individual, mas o tcheco deixou o jogo seguir.

Já do lado húngaro, a equipe reclamou de uma falta, na entrada da área, de Cahill em cima de Nego. Caso Zelinka marcasse, certamente o capitão dos Blues seria expulso de campo.

Chelsea volta mal e toma sustos

Kepa foi um dos melhores em campo fazendo pelo menos duas grandes defesas (Fonte – Chelsea FC)

Sem mudanças em ambos os lados, o segundo tempo começou com o Vidi tendo uma grande chance de abrir o placar. Logo no primeiro minuto da segunda etapa, Nego chutou e Kepa foi obrigado a fazer uma boa defesa.

Se antes da bola rolar o clima era de otimismo da torcida e expectativa de fazer o elenco rodar, com o 0 a 0 persistente, o técnico Maurizio Sarri foi obrigado a colocar titulares em campo. O primeiro deles foi Eden Hazard. O belga que está voando nessa temporada entrou no lugar de Pedro, que voltava de lesão. Outro que também saiu pois retornava de problemas físicos foi Loftus-Cheek. O inglês foi substituído pelo compatriota Ross Barkley, convocado para a seleção inglesa.

Mudanças dão certo e Morata abre o placar

Com um time mais entrosado dentro de campo, o Chelsea não demorou a criar mais chances de gol. Em rápida troca de passes pela direita, Barkley encontrou Fabregas, que lançou Willian na área. Inteligente, o brasileiro só escorou de cabeça para Morata encher o pé e abrir o placar em Stamford Bridge. 1 a 0 para os Blues e fim da seca de gols para o camisa 29, que só havia marcado nessa temporada na vitória contra o Arsenal, na segunda rodada da Premier League.

Jogo difícil impediu Sarri de rodar elenco. (Fonte – Chelsea FC)

Com o Chelsea cozinhando o jogo, o Vidi voltou a assustar a meta do goleiro Kepa. Em uma boa descida pela direita, Kovacs chutou e o espanhol fez uma defesaça. Na sequência do lance, Moses afastou o perigo.

O susto fez os Blues ficarem mais atentos na partida. Tocando melhor a bola, foi só esperar o árbitro apitar para comemorar mais três pontos na Europa League. No domingo, a equipe volta a jogar pela Premier League. O Chelsea terá pela frente o Southampton e, se Liverpool e Manchester City tropeçarem, poderá voltar a liderança da competição.

Ficha técnica:

Chelsea (4-4-3): Kepa, Zappacosta, Christensen, Cahill (C), Emerson; Fabregas, Loftus-Cheek (Barkley 66’), Kovacic; Pedro (Hazard 54’), Morata, Willian (Moses 74’).

Reservas não-utilizados: Caballero, Ampadu, Alonso e Kante.

MOL Vidi (4-3-2-1): Tujvel (C), Fiola, Juhasz, Paulo Vinicius, Stopira; Nego, Hadzic, Nikolov; Milanov (Hodzic 83’), Huszt (Kovacs 77’); Scepovic (Patkai 83’).

Reservas não-utilizados: Kovacsik, Berecz, Hangya e Tamas.

Gols: Morata 70’ (CHE)

Cartões Amarelos: Nego 14’ (VID) Huszti 44’ (VID) Milanov 56’ (VID) Morata 66’ (CHE)

Árbitro: Miroslav Zelinka (República Tcheca)

Estádio: Stamford Bridge (Londres)

Willian Guerra