Timo Werner fala sobre como é trabalhar com grandes nomes que admirava enquanto crescia

O atacante também contou sobre a sua ligação com a camisa 11

Em entrevista concedida para as redes sociais do clube londrino, Timo Werner contou um pouco sobre a experiência que tem vivido até aqui no clube inglês. Agora, com 24 anos, Werner cresceu durante um período de domínio dos Blues no cenário nacional e continental. O atacante alemão parece estar cada vez mais entrosado com o elenco, e contou sobre a forte influência que o time de Londres teve em sua infância.

“Para mim, é um pouco a realização de um sonho vir e jogar agora na maior liga do mundo. Quando criança na Alemanha, você não vê muito a Premier League, mas vê os times da Champions League,” disse Werner.

Timo também contou sobre como é trabalhar ao lado de grandes ídolos da torcida dos Blues.

“Quando você vem para o clube, eles estão trabalhando para o clube. Quando você os vê como uma criança, tipo 10, e então você vê Ashley Cole, Frank Lampard, Petr Cech, você diz “uau, que loucura estou aqui com eles agora. É muito divertido.”

Werner está há um mês atuando pelo Chelsea, e parece estar evoluindo a cada jogo. Todavia, uma coisa que está faltando são os torcedores dos Blues sendo capazes de desfrutar de suas belas atuações em campo.

“Tem sido um pouco difícil sem torcedores, porque acho que na Premier League os torcedores têm um papel importante, especialmente aqui, em todo o jogo. É diferente porque na Alemanha eles sempre cantam e sempre se divertem. Mas aqui os fãs estão muito no jogo. Eles assistem e adoram quando você faz uma defesa, cria uma chance ou marca. Esse sentimento é especial,” finaliza o alemão.

Timo Werner foi um dos atletas que chegaram ao Chelsea no mercado de transferências. (Chelsea FC / Website)

Timo Werner foi um dos atletas que chegaram ao Chelsea no mercado de transferências (Chelsea FC / Website)

Ligação com a camisa 11

Após a saída de Pedro para a Roma, a camisa 11 ficou vaga no elenco, e foi rapidamente vestida pelo alemão. Werner contou sobre a sua ligação especial com a camisa 11. No RB Leipzig, o atacante alemão também atuou com essa numeração. Lá, ele fez um grande sucesso e consagrou-se como um dos grandes nomes do futebol mundial.

“Acho que é um bom número para um atacante. Funcionou muito bem no Leipzig, meu antigo clube, onde tive o número por quatro anos. Adoro o número 11. Também o tenho na seleção alemã. Sim, acho que meu número é muito bom,” encerra Werner.

Felipe Silva